terça-feira, 18 de outubro de 2011

Trilhos do Raia – Idanha 16.10.2011

Este passeio já estava marcado na nossa agenda há muito tempo e já estavamos ansiosos por ele. O CBTT TL esteve representado em grande com 12 atletas: Daniel, Marco, Zé Latas, Carlos Valente, Luis Mendes, Eduardo, Carlos Fernandes, Xando, Tó, Marcio, Pedro nhã (no lugar do Fernando Costa) e o Pedro Romão (que acabou por não poder vir pois ainda tem o cromado danificado da sua ultima queda). Ao todo eram cerca de 720 inscritos nesta prova.



O cenário eram as fantásticas paisagens raianas da Zona de Idanha. Belas paisagens, belas descidas, bons singletracks, algumas boas subidas, alguma pedra e .... muito pó. O terreno estava sequissimo e o pó era muito fininho!

video

Nós fomos todos para os 50kms. Não eram muito duros pois o acumulado não chegava aos 800mts. Era terreno sempre rolante e a parte mais dificil era já depois do paredão da barragem de Idanha e antes da chegada, com um single a subir e com muita pedra. Começámos na cauda do pelotão mas a um bom ritmo, e o Pedro Nhã, o Marcio e o Mendes estavam afoitos e partiram para a frente. Os restantes vieram sempre em grupo.

Vinhamos a andar bem, sem problemas, mas depois tivemos que começar a abrandar pois o Carlos Valente começava a acusar algum cansaço e ainda uma valente (como ele!!!) queda. Apartir dos 28-30 kms começaram as complicações: furos (um do Marcio que ainda fomos apanhar furioso e a querer mandar a bike nova por um precipicio), 2 correntes partidas (Carlos F e um camarada de Ponde de Sor), etc. Ainda passámos por dentro da magnifica aldeia histórica de Idanha-a-Velha toda em pedra, num dos abastecimentos. Umas barraquinhas de cerveja e nós ali em secura extrema a babar-nos pois ninguém trazia dinheiro. Mais uma lição a retirar!!



Chegámos praticamente no final do pelotão dos 50kms mas pronto... chegámos bem... e olhem que vimos 2 bttistas esticados no chão e um outro com a boca e nariz todos amachucados e arranhados. Nesse aspecto correu tudo muito bem para nós.

Outra história caricata foi, já perto do final e enquanto esperávamos pelos mais atrasados, termos sido filmados e entrevistados para o BTT-TV, onde eu não me ocorria nada de jeito e só sabia falar do pó ... e o Carlos Fernandes teve que salvar aquilo com uma das frases mais desconcertantes e hilariantes de sempre quando lhe perguntaram: “O que achou da prova?” Ao que ele respondeu com a fantástica expressão: “Achei tudo e não encontrei nada!”. Fosga-sssee... Lindo! O entrevistador ficou com um nó no cerebro com esta resposta tão profunda!!! eheheheh

Saliento ainda que tudo estava bem organizado, muito bem marcado e o almoço era muito bom (porco no espeto com um arroz de fiejocas soberbo), faltou foi um cafézinho no final. É uma zona impecável para o BTT, não muito dura, com uma grande diversidade (zonas rolantes, singletracks, aldeias históricas, barragens e açudes, boas descidas, zonas de pedra, terra, etc). Pena ser muito longe (foram 2h30 para cada lado).

Já sabem, fiquem com isto: Mesmo que achem tudo, poderão não encontrar nada! (cito iluste pensador CF)

Saudações bttistas
DCB

3 comentários:

Carlos Fernandes disse...

Estou a aguardar a publicação do Quim Martins para me rir!!!

Anónimo disse...

Ir para uma maratona sem trocos para as "mines"? Amadores, eh, eh, eh...
Este Carlos é verdadeiramente um monstro da comunicação social, é o maior, eh, eh, eh...

Abraço,

Charbel

Anónimo disse...

Carlos,és o nosso poeta pensador,hehe.
Um abraço.