domingo, 18 de dezembro de 2011

Volta Natalicia e almoço de Natal

Boas,
este domingo teve lugar mais um belo combibio de Natal entre os sócios do nosso clube. Demos uma volta de BTT seguido de um belo almoço no restaurante Chico do Porto. Eramos 19 a andar e 32 para almoçar (mas porque é que para comer há sempre mais gente?!?!?!?..ehehehe).


Demos a volta do canal mas com uma pequena variante: dar a volta da Barragem de Magos.
E houve vários factos interessantes desta volat:
1º que tudo... algo completamente inédito: não houve nenhum furo!! É verdade! Parece impossivel.
2º - 3 bikes novas quase a estrear: Carlos Fernandes, Veiga e Feitor. O Pai Natal veio mais cedo!!! ahhh pois é...
3º o grande Zé Latas esteve mais uma vez em grande a animar o pessoal. Depois de passar uns 35kms a cortar e dizer mal das Scotts... deve ter sido castigo e mandou um grande mergulho encarpado para dentro de uma poça de agua que lhe dava pela cintura. A bike ficou bloqueada e não conseguiu tirar os pedais a tempo e foi até ao pescoço....eheheh... Mesmo em grande. Antes já o Pegaso também tinha arriscado e a bike enterrou até ao volante. Quase que era preciso uma corda! O Zé vinha mais atrás e já não foi a tempo. O regresso foi pelo alcatrão e sempre a grande ritmo. Uma palavra de espanto para o Luis Feitor que, com bike nova, parece que tinha outro animo, o Ricardo Brites, parado quase há um ano também veio bem até ao fim e para o Farmácias também foi uma boa tareia para quem só andou umas 4-5 vezes.
De resto, belo dia de sol e belo passeio.


O almoço também foi um belo convivio e foi muito bem servido.
Tudo 6 estrelas!

Resta-me, em nome do CBTT TL, desejar a todos UM EXCELENTE NATAL E BOAS FESTAS!

Abraço

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

"Vitima de Voodooísmo..." 06 de Novembro de 2011

By Bruno Venâncio


Domingo, 8h30 na Ribapedal conforme combinado. Mas desta feita fomos persuadidos a esperar por um grupo de "dinossauros" que vinha a pedalar desde V. F. de Xira, mas que afinal se agrupara realmente no Porto Alto e que por sinal nem sabia da nossa existência pois saíram do local de encontro antes mesmo de lá chegarmos. Por sorte o andamento do grupo acima referido era ligeiro e logo os apanhámos formando um verdadeiro pelotão da Vuelta.

Temendo um "fantasma" que me disseram momentos antes, ter sido visto por terras de Samora a aterrorizar ciclistas "não locais" em noite de Halloween, encetei uma fuga (sozinho, claro!).

Assustado pedalava com todas as minhas forças, quando senti uma força sobrenatural puxar-me para trás, e todo o chão estremecer. Mas quando olhei para baixo reparei que era só um furo... assim pensava eu!!

Obrigado a parar, logo fui apanhado pelo pelotão que pelo que deduzi também ia em fuga, pois quase não me viram e poucos foram mesmo os que pararam (Charbel, Carlos Fernandes, Luís Mendes e Xando). Já refeito do susto continuámos a afastarmo-nos de Samora (terra assombrada), e alguns quilómetros mais á frente, novo furo. E quem furou? Eu, claro! Mas desta feita recorri a material de um local para tentar afugentar o mau-olhado. E lá seguimos durante uns valentes quilómetros até que, como não há duas sem três, novo furo!

Que me levou a concluir que ou os locais também estão amaldiçoados, ou eu devia ter tirado a porra do pneu fora e visto o arame que lá estava alojado desde o ínicio.

Exaustos do "pára-arranca" e já fartos de praguejar ao infortúnio, lá fizemos o caminho de volta com um olho na estrada e outro num corvo que nos seguia a par e passo, como se estivesse ali a mando de alguém. Não sei se o fantasma existe, mas acabei a volta todo dorido e com um alfinete cravado na cabeça."

terça-feira, 1 de novembro de 2011

A GRANDE APOSTA!

By Charbel


Olá a todos,


No passado Domingo, fomos "visitar" os nossos amigos do Moto Clube de Lisboa para mais um agradável passeio/convívio. O pelotão vindo da Lezíria era composto por mim, Xando, Marco, Márcio, Carlos Fernandes, Galamba, Emanuel, Zé Kota e Tiago Gomes.


Partimos da sede do MCL e descemos até à EXPO, prosseguindo depois junto ao rio Trancão, até que por fim atravessámos a estrada nacional em Sacavém.
Assim que iniciámos o trilho fomos "brindados" com uns valentes arranhões provocados pelas silvas, coisa pouca não fora o facto dos nossos jerseys novos ficarem todos esburacados e cheios de fios puxados. Acho que o Pégaso devia lá ter ido no dia anterior com a tesoura da poda, para dar cabo das malditas, eh, eh, eh.
Pouco depois o grupo fez uma pequena paragem para reunir e foi nesse momento que vislumbrámos ao longe uma "terrível" subida em alcatrão.
Após várias tentativas fracassadas de alguns bttistas para subir a encosta, eu disse ao Pégaso que o Tiago seria capaz! De imediato o Pégaso fez uma aposta com ele. Apostaram uma grade de "mines" e uma sandes de presunto, eh, eh, eh.
Entretanto o Pégaso diz baixinho - nem os carros sobem aquilo, só alguns jipes e não pode estar a chover - mas o Tiago estava decidido a "lutar" pelas mines e começou a trepar a encosta como se não houvesse amanhã, para espanto da assistência! Quer dizer, espanto para quem não o conhece, eh, eh, eh...
E foi assim que passados alguns Km de trilhos e de uma subida das rijas até às eólicas" com uma descida do mais acidentado que pode haver, lá chegámos à tasca. Pouco depois já estava disponível uma grade de "mines", pão caseiro e queijo fantásticos.
Gerámos um alvoroço na pequena aldeia situada perto de Bucelas. A tasca era daquelas mesmo à antiga, até a torneira da água por detrás do balcão é ela própria uma relíquia do passado e já há muitos anos que não via uma!
Como é natural nestas coisas, o facto de existirem alguns bttistas extremamente desidratados, leva a que se cometam alguns excessos.

A foto seguinte atesta bem o que acabo de afirmar, eh, eh, eh...

É a chamada "operação Trimine", protagonizada pelo mítico Carlos Fernandes. Trata-se um número artístico muito elaborado e de dificuldade elevada, pelo que não aconselhamos a sua prática por amadores, sob pena de se desperdiçarem três "mines", algo que a acontecer seria dramático, eh , eh, eh...

Por hoje é tudo, boas pedaladas!


Abraço,

Charbel 

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

RUI PEREIRA EM "ALTA"!



Monitor de fitness e cycling do nosso patrocinador “Ginásio Vitamina”, o Rui acaba de demonstrar uma vez mais que se encontra num momento de forma invejável, ao vencer a importante maratona de Santarém, na categoria de promoção e na distância de 80 Km.



Já em Setembro, Rui vencera a maratona dos 5 cumes de forma avassaladora.


Ficamos orgulhosos, até porque durante a semana alguns de nós têm o "privilégio" de treinar sob o seu comando nas inovadoras aulas de Cycling.

Parabéns ao Rui e ao nosso patrocinador “Ginásio Vitamina”.



O CBTTTL

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Trilhos do Raia – Idanha 16.10.2011

Este passeio já estava marcado na nossa agenda há muito tempo e já estavamos ansiosos por ele. O CBTT TL esteve representado em grande com 12 atletas: Daniel, Marco, Zé Latas, Carlos Valente, Luis Mendes, Eduardo, Carlos Fernandes, Xando, Tó, Marcio, Pedro nhã (no lugar do Fernando Costa) e o Pedro Romão (que acabou por não poder vir pois ainda tem o cromado danificado da sua ultima queda). Ao todo eram cerca de 720 inscritos nesta prova.



O cenário eram as fantásticas paisagens raianas da Zona de Idanha. Belas paisagens, belas descidas, bons singletracks, algumas boas subidas, alguma pedra e .... muito pó. O terreno estava sequissimo e o pó era muito fininho!

video

Nós fomos todos para os 50kms. Não eram muito duros pois o acumulado não chegava aos 800mts. Era terreno sempre rolante e a parte mais dificil era já depois do paredão da barragem de Idanha e antes da chegada, com um single a subir e com muita pedra. Começámos na cauda do pelotão mas a um bom ritmo, e o Pedro Nhã, o Marcio e o Mendes estavam afoitos e partiram para a frente. Os restantes vieram sempre em grupo.

Vinhamos a andar bem, sem problemas, mas depois tivemos que começar a abrandar pois o Carlos Valente começava a acusar algum cansaço e ainda uma valente (como ele!!!) queda. Apartir dos 28-30 kms começaram as complicações: furos (um do Marcio que ainda fomos apanhar furioso e a querer mandar a bike nova por um precipicio), 2 correntes partidas (Carlos F e um camarada de Ponde de Sor), etc. Ainda passámos por dentro da magnifica aldeia histórica de Idanha-a-Velha toda em pedra, num dos abastecimentos. Umas barraquinhas de cerveja e nós ali em secura extrema a babar-nos pois ninguém trazia dinheiro. Mais uma lição a retirar!!



Chegámos praticamente no final do pelotão dos 50kms mas pronto... chegámos bem... e olhem que vimos 2 bttistas esticados no chão e um outro com a boca e nariz todos amachucados e arranhados. Nesse aspecto correu tudo muito bem para nós.

Outra história caricata foi, já perto do final e enquanto esperávamos pelos mais atrasados, termos sido filmados e entrevistados para o BTT-TV, onde eu não me ocorria nada de jeito e só sabia falar do pó ... e o Carlos Fernandes teve que salvar aquilo com uma das frases mais desconcertantes e hilariantes de sempre quando lhe perguntaram: “O que achou da prova?” Ao que ele respondeu com a fantástica expressão: “Achei tudo e não encontrei nada!”. Fosga-sssee... Lindo! O entrevistador ficou com um nó no cerebro com esta resposta tão profunda!!! eheheheh

Saliento ainda que tudo estava bem organizado, muito bem marcado e o almoço era muito bom (porco no espeto com um arroz de fiejocas soberbo), faltou foi um cafézinho no final. É uma zona impecável para o BTT, não muito dura, com uma grande diversidade (zonas rolantes, singletracks, aldeias históricas, barragens e açudes, boas descidas, zonas de pedra, terra, etc). Pena ser muito longe (foram 2h30 para cada lado).

Já sabem, fiquem com isto: Mesmo que achem tudo, poderão não encontrar nada! (cito iluste pensador CF)

Saudações bttistas
DCB

domingo, 9 de outubro de 2011

Volta caseira do canal

by Carlos Fernandes

À hora marcada reuniu hoje junto à RIBAPEDAL, uma bem composta equipa de BTTISTAS formada por 16 elementos: Xando Trindade, Marco Ribeiro, Carlos Valente, Carlos Fernandes, Bruno Venâncio, Zé Latas, Luís Feitor, Rui, Sr. Domingos Silva, Paulo Vasconcelos, Vasco Parreira, Luís Mendes, Emanuel Barbosa, Pisco, Domingos Carvalho e Pedro Nha.

video

Arrancamos em ritmo calmo e sem stress, com a resportagem da SIC em “on”, na direcção dos arrozais, apanhando depois o canal que nos leva até Benavente.

Quando atravessamos a ponte pedonal encontramos mais um elemento o Fernando Ferreira, que estava brutal a dar á bomba, pois tinha o “pneu em baixo”.
Enquanto o Fernando Ferreira ia resolvendo o problema, o Zé Latas ensaiou e concretizou um numero artistico digno de realçe, desceu as escadas montado na sua bike em grande estilo, merecendo os aplausos da rapaziada.
video

Recomeçamos em direcção à IDAL, agora com mais um elemento, o Fernando Ferreira, entrando logo á direita no canal até á aldeia do peixe a um ritmo mais elevado para expulsar o tabaco, onde fizemos a habitual paragem tecnica.

Fizemo-nos novamente ao estradão a um ritmo bastante simpático, até chegar ao ponto de divisão entre os 70km e os 120km. O Vasco, o Fernando e o Vasconcelos seguiram para os 70km e os restantes para 120km. Neste entretanto houve um grupo de 5 BTTISTAS que se juntou a nos, seguindo depois rumo a Coruche. Seguimos em direcção ao Biscainho e regressamos pelo alcatrão. Junto ao estadio da Barrosa, mais um numero do Fernando Ferreira, la estava ele novamente a dar á bomba, mas com uma nuance, só tinha camara de ar de pneu fininho!!!! Lá teve que o Marco emprestar a sua camara de ar adequada e lá se safou o men!

Recomeçamos novamente o percurso, havendo depois algumas fraturas nos andamentos até chegarmos cerca das 12:30h.

Foi um bom passeio, valeu pela camaradagem e pelo elevado numero de participantes, como há muito não se via.

Saudações Bttistas.
CF

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Descida do Picoto - Sertã (2 Out)

by Tó Cardoso

Mais uma vez o nosso clube representado, pois não podia faltar a mais uma prova no concelho que me viu crescer.
ÀS 8 da manhã cheguei ao ponto de encontro onde me reuni com alguns amigos da terra, e começámos a levantar os dorsais. Tudo tranquilo a esta hora porque como as noites na Sertã são longas, a maioria dos participantes só começou a chegar a partir das nove.
A logística da prova consistia em transportar todas as bikes em camiões e todos os bttistas em autocarros e transportá-los até ao local do início da prova.
Como as inscrições não fecharam com antecedência, mas sim minutos antes da prova começar, ainda se esperava pelos últimos que quisessem participar, e como ia demorar, fomos hidratar-nos com bebidas energéticas, vulgo "mines".
Fechadas as inscrições, e resolvido todo o trabalho de logística seguimos em direcção ao Picoto para começar a prova. Lá em cima a vista é magnífica uma vez que nos encontramos a cerca de 1.100 metros de altitude.
Enquanto aguardava o descarregamento da minha "montada" fui interpelado por dois membros da Gráfica de Benavente que também iam participar no evento. Após alguns momentos de prosa começamos a pedalar, já marcava no relógio 10:30 ...
Poucos quilómetros decorridos um dos meus conterrâneos furou e como bom bttista que é, somente levava a bike e o bidon e eu ,estive a ajudar pois levava algumas ferramentas de apoio.



Resolvida a situação lá prosseguimos e chegámos ao abastecimento, onde somente nos esperavam água e mais "mines", até a garrafa de bagaço que lá tinha estado já tinha desaparecido. Para a próxima a ver se reparo o furo com mais rapidez.... lol
Com este contratempo nunca mais vi os colegas de Benavente.



Seguindo em bom andamento (pois era tudo a descer) atravessámos algumas ribeiras de fácil transposição e entrámos nos single tracks da prova, por sinal muito bem traçados, pois davam para tudo: andar, cair e voar , e de uma beleza natural característica deste concelho.
Finalmente chegámos ao fim, onde o ansiado almoço nos aguardava e que muito apreciámos.
Boas pedaladas.
António Cardoso

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Passeio BTT Trancoso Miratejo - VFX (25.09.11)

Este ano decidimos experimentar este passeio, bem perto de Samora mas no entanto ainda muito desconhecido para a maioria.
Já sabiamos qie ia ser durinho e apenas 5 elementos do CBTT TL aceitaram o desafio: Daniel, Sergio, Bruno, Carlos Fernandes e... Vasco Sogras( é verdade!!! O sr Domingos acabaou por não poder ir e o Vasco foi rebuscado... ou melhor... enganado!! Eheheh).
Com a maior das inocencias e ingenuidade ele pergunatava, enquanto preparávamos as bikes: “Isto não é muito duro, pois não?”. Ninguém respondeu... só esboçámos um sorriso meio amarelado!
Lá fomos! Para começar... iniciámos logo a subir, e passado uma hora olhei para o conta kms e tinhamos apenas 9kms percorridos!!1 Ou seja numa hora fizémos 9kms.
Mas nem tudo era mau, pois tudo era compensado pelos trilhos magnificos que iam surgindo. Belas paisagens, grandes subidas, mas descidas brutais em single-tracks técnicos. Passámos ainda algumas vezes por partes do percurso das Linhas de Torres, por entre vegetação e caminhos de pedra. Um dos single tracks que fizémos ficou entre os 3 melhores que já alguma fiz. Foram uns 3 kms sempre a descer, com drops... chegámos lá abaixo com uma dor nos pulsos tremenda! Brutal. O Bruno ainda experimentou bem de perto a duresa do trilho pois caiu mesmo de cabeça e fez o pino. Felizmente apenas esfolou o braço. Ainda fizemos outro singletrack a alta velocidade pelo meio de uma vinha.
Só que tudo isto levava muito tempo e quando chegámos aos 35kms eu e o Carlos atalhámos pelo alcatrão e chegámos ao carro perto das 12:35 (fizémos 42kms). O Bruno veio para a frente e fez o percurso todo e chegou um pouco mais tarde. O Vasco já só resmungava com as subidas e com as descidas técnicas e, com o Sérgio, voltaram para o percurso mais pequeno dos 29kms.
Os abastecimentos foram muito bons, tinham pão com choriço e pão com torresmo. Só faltava a mine.
O Carlos levou uma camara de filmar no capacete. Espero que dê imagens fantasticas. Ele bem procurava pelo “Guedes” para o poder filmar mas o gajo nunca apareceu e ninguém sabia dele. Eu ainda sugeri que fosse eu a levar a camara e ele ia à minha frente... para ver se o Guedes aparecia. Havia mais probabilidade disso!
Foi um passeio muito bom! Bem organizado, pessoal do Trancoso bike são bastante hospitaleiros. Os trilhos são do melhor que há aqui tão perto.

Para repetir... nem que seja só para ir fazer aquele singletrack e voltar!

Boas pedaladas,
DCB

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Rota dos Coelhos - 25 Set 11 - St Estevão

by Carlos Valente:

Realizou-se hoje o passeio organizado pela Sociedade Filarmónica de Santo Estevão, a "Rota dos Coelhos 2011"


O CBTT TL esteve presente com 5 elementos, a saber: Xando Trindade, Marco Ribeiro, Carlos Galamba, Luís Feitor e Carlos Valente. (Mais alguns amigos do Moto Clube de Lisboa, que com o coração dividido pelos dois clubes, trajaram jersey do MCL e calções do CBTT TL)


A recepção no secretariado foi pacifica, sem muita gente e bem organizado.
Partida às 09h00, aqui ainda com a incerteza de qual o percurso que iriamos fazer. O Luís Feitor decidiu-se logo pelos 30 kms. (ainda se encontra traumatizado pelo fim de semana anterior, eheheh) mas o resto do grupo optou por rolar e quando chegassemos ao ponto para decidir logo veriamos.

Bom andamento, nuns trilhos que para a maioria do pessoal do nosso grupo não são novidade, já que é um dos locais de eleição para os treinos semanais. Para mim foi a primeira vez, já que nunca tinha rolado por aqui. A unica dificuldade notou-se nos diversos bancos de areia, que são ultrapassados com mais ou menos dificuldades.

Praticamente rolamos todos juntos, incluido o Feitor, até à altura que o meu conta-kilometros deixou de funcionar e pensei que tinha perdido o sensor (afinal tinha só saido do sitio ). Com esta peripécia perdi a cola dos companheiros e como o ritmo não era lento, só os apanhei quando pararam na separação dos 30 e 50 kms. Entretanto o Feitor passou por nós e optou por não parar, certamente para não perder o ritmo. O homem ia endiabrado hoje. Nunca mais o apanhamos até ao final.

Acabamos por optar pelos 30 kms., pois alguns queriam chegar cedo a casa.
O resto do percurso não apresentou dificuldades de maior. Saliente-se só a passagem do rio, onda havia o abastescimento (barras energéticas, laranjas ( que delicia), maçãs e água) tudo servido por 1 senhora e 2 meninas muito simpáticas, que ainda tiveram tempo para emprestar um pouco de soro fisiológico para eu limpar alguns arranhões que um trilho mal escolhido e umas silvas fora do sitio me fizeram num braço. Nada de grave.


Pelo que nos foi dado ver pelas fotos da organização, houve precalços, alguns delas bem carricatos, eheheh
Depois foi rolar até ao fim, sem dificuldades.

No final, tempo ainda para o retemperar forças com a bebida energética preferida do pessoal, a já celebre mine, com alguns dos amigos do Moto Clube de Lisboa.

 
Dia calmo, com bom tempo, que serviu para mais um treino para a próxima maratona a sério, Idanha-a-Nova
Um abraço,

 
Carlos Valente



quinta-feira, 22 de setembro de 2011

4.ª Maratona BTT "Rota Sopa da Pedra" - Almeirim 18/9/11

By: Nando

Mais uma participação do CBTT Trilhos da Lezíria na 4.ª Edição da Rota da Sopa da Pedra, em Almeirim.

Desta feita fomos eu, Marco e Eduardo para a meia maratona de 40 Km.
Correu tudo dentro da normalidade, excepto uns percalços... a organização da prova esteve razoável.
Foi uma prova em que a camaradagem e o convívio estiveram presentes.
A partida foi dada sem atropelos, com a habitual voltinha pelas ruas de Almeirim.
Como o Eduardo está no início da temporada, resolvi acompanhá-lo, porque como o Marco está em melhor forma, distanciou-se e nunca mais o apanhámos.
Ao Km 8 sensivelmente derrapei numa curva e acabei por ter um contacto directo com o chão, felizmente nada de grave, ossos do ofício...

Depois do abastecimento após uma subida íngreme parti o dropout. Disse ao Eduardo para prosseguir pois eu ia voltar ao abastecimento para a organização me colocar no final da prova. Nada disso aconteceu, pois não havia transporte. Tive que "desenrascar" um descrava, corrente e fita-cola.



Acabei por fazer os restantes 17 Km na pedaleira grande e em 10.ª velocidade atrás, com bastante sacrifício e sempre a abrir caminho para não parar, e a dizer: "Sai da frente Guedes" !!! Se o pessoal não me saísse da frente tornava-se muito mais penoso... muito a custo... lá acabei a prova.

Mais uma bela manhã de Btt bem passada, quanto ao almoço, não posso falar porque não o degustámos mas oss outros colegas de Samora (Pisco, Rui e Perinhas) disseram que estava do melhor com a bela da sopa de Pedra.



Boas voltas

Fernando Costa

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

"OS INTRUSOS DA FERRADURA"

By Charbel

Olá, olá…


Que raio de título, ah? Pois é, na falta de eventos fantásticos cheios de adrenalina e emoção, a malta tem de recorrer a outros subterfúgios para vos “entreter”, eh, eh, eh, eh…

No passado Domingo, encontrámo-nos na Ribapedal para mais uma volta de estrada até Canha, uma volta cuja distância é de cerca de 84 Km de extensão. Presentes estiveram o Xando, o Emanuel, o Luís Mendes, eu próprio e o Sr. Domingos que ainda foi a tempo de voltar a casa para trocar a bike de BTT pela de estrada.

O dia estava muito ventoso, no entanto o vento até Canha estava sempre a favor pelo que a média até lá foi de 30 Km/h, o que significa que durante alguns Kms a velocidade era de 45 Km/h.

Depois de Canha, algo de estranho aconteceu. Um tipo parou o carro na berma da estrada, junto a uma subida ali existente, e começa a tirar-nos fotos! Hummm, muito estranho, porque razão um tipo nos fotografava ali no meio do “nada”? Claro que sabemos que somos ciclistas extremamente fotogénicos e de “estampa” atlética mas naquele contexto, a coisa não nos parecia bem! Seria um “Tiffosi” dos Trilhos da Lezíria? Seria um tarado? Ou apenas um fotógrafo “esquisito”? Nada disso meus amigos, simplesmente encontrávamo-nos “infiltrados” numa prova de ciclismo que por ali decorria, pois vislumbrámos ao longe, dois ciclistas e um carro de apoio, eh, eh, eh…
Tratava-se de um evento que havia começado em Vendas Novas (http://equipabttclubeferroviariosvendasnovas.blogspot.com/).

Claro está que não comprometemos a qualidade das fotos e colocámos em prática a nossa faceta de modelos fotográficos, o que terá ajudado a aumentar o “status” daquela prova, eh, eh, eh.

Nesse momento somos ultrapassados pelos dois ciclistas do clube “Os Chaparros”, que em grande estilo pedalavam na subida. Claro está que isto despoletou uma forte reacção minha e do Sr. Domingos, que já não deixámos os homens em paz. Fomos "buscá-los" e eles tentaram dar luta para logo desistirem face ao inesperado "ataque" do Sr. Domingos. O homem estava “possuído” e não mais parou de acelerar, ao ponto de o termos perdido de vista!

Entretanto meto conversa com os ciclistas, perguntando-lhes se conheciam o pessoal do MCL, visto que alguns deles também são sócios dos “Chaparros”, mas os homens não conheciam ninguém! Aqui está uma falha imperdoável, então não conhecem o Pégaso? E o Veiga?  

Entretanto o Emanuel que se encontrava mais atrás fez uma descoberta curiosa! Sim, encontrou um sapatinho de ferro, mais vulgarmente conhecido por ferradura.

“Let´s look at the Picture…”


Claro está que a foto foi tirada no nosso posto de abastecimento oficial, “O pintor” que se situa na zona da aldeia das Figueiras, eh, eh, eh…
Esta mesa já se tornou famosa e em cima dela podemos observar a ferradura do Emanuel, juntamente com as “mines”.

Após este momento de descontracção, prosseguimos a nossa viagem, mas desta vez o vento estava contra e soprava com uma violência pouco normal nesta altura do ano. Foi um pouco penoso o regresso, principalmente para o Emanuel, mas como sempre lá continuámos.
Em Foros-de-Almada, nova paragem para uma ultima reposição dos níveis de sais minerais.


Por hoje é tudo, boas pedaladas.


Abraço,


Charbel    

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

1ª MARATONA GINÁSIO VITAMINA (OUTDOOR)

No passado Sábado teve lugar a 1ª maratona de Cycle outdoor organizada pelo Ginásio Vitamina com o patrocínio da Bike Shop Ribapedal. 

O CBTTTL marcou presença neste evento marcado por alguma dureza, uma vez que os participantes foram “presenteados” com 3 horas de pedaladas ministradas pelo professor Rui Pereira.

No final foram sorteados interessantes prémios entre os participantes.  

Excelente iniciativa que desejamos ver repetida brevemente!


Boas pedaladas,

CBTTTL

domingo, 11 de setembro de 2011

A raposa e o tractor

Esta é uma fábula que podia ser de encantar mas não é. A raposa é resingona e sempre a protestar e o tractor estava carregado de esterco...eheheh
Para esta volta domingueira do canal, eramos 14 bttistas: eu, Luis Mendes, Marco, Marcio, Xando, Zé Latas, Carlos Valente, Alcides, Aires, Galamba, Emanuel, Ricardo Arez, Rui (colega do Valente) e um estreante: Feytor. Foi um belo pelotão que se pôs ali pelo canal até Benavente. O ritmo foi bom.



O percurso é plano mas é uma paisagem agradável. Parámos na Aldeia do Peixe e foi então que se dá a aparição mais aterradora do volta. Um verdadeiro assombro de meter medo ao bttista mais sensivel. Aliás, há participantes que hoje não vão dormir e vão sofrer pesadelos. Vejam porquê...



Com este "caparro" parece uma raposa e o seu dorso branco...

Depois deste episódio traumático prosseguimos caminho e depois do final do canal ainda fizémos um "upgrade" da volta... com mais 6- 16kms (eheheh) pela estrada que já utilizámos quando faziamos as 1ªs nocturnas por aquele lado. O pessoa estava todo muito bem mas já eram muitos kms para o Feytor e começou a ressentir-se. Foi das primeiras voltas dele a sério. Eu fiquei para trás mais o Xando a acompanhá-lo e viemos sempre pelo alcatrão até Biscainho-Barrosa e por fim Benavente. Ainda no Biscainho eis que o Feytor vê a luz... ou melhor, viu um tractor que ia praticamente à mesma velocidade que nós. E o Feytor, e bem, agarrou-se ao tractor a aproveitou a boleia. Mesmo sendo um tractor com mais de 30 anos e carregado de esterco (por acaso não cheirava muito mal...ehehe).




O Feytor ficou logo em Benavente a aguardar boleia e nós ainda viémos apanhar apanhar o resto do pessoal. Para finalizar ainda fomos beber umas bebidas energéticas recuperadoras (também apelidadas de "mines") à Andreia 2, num bom momento de combibio.

Abraço e para a semana há a volta da Arepa (cicloturismo) e a maratona da Sopa de pedra em Almeirim.

DCB

terça-feira, 6 de setembro de 2011

"TRALHO COLOSSAL"

By Charbel

Olá a todos,

No passado Domingo existiram dois grupos de bttistas em “circulação”!

O primeiro grupo efectuou uma volta caseira de BTT para dar início à “nova época” desportiva, o segundo efectuou uma volta de estrada (S.Correia/V.F.Xira/Azambuja/Valada/Muge/Salvaterra-de-Magos/S.Correia) com um grau de exigência um pouquinho maior pois no total iríamos efectuar cerca de 84 Km.

Apesar de não me sentir motivado para redigir a tradicional crónica, eis que o nosso amigo Galamba se encarrega de dar o mote. Pois é, o homem quis dar nas vistas e lá conseguiu, mas vamos por partes!

Conforme o combinado, às 8:00 em ponto encontrámo-nos todos frente ao Inter-marché de V.F. de Xira. Eu, o Galamba e o Emanuel viemos a rolar desde Samora Correia, o Luís Mendes e o Bruno vieram desde Alhandra, o Carlos Fernandes e o Feteira vieram creio eu, desde os montes de Vila F. de Xira e de Arruda-dos-vinhos.

Começámos a rolar e desde logo se verificaram alguns “despiques” que aceleravam o pelotão até aos 40/45 Km/h!
Estes “ataques” fratricidas foram desgastando o nosso amigo Galamba que vinha de uma paragem de 15 dias! O homem foi de férias e levou a bike de estrada consigo, mas na primeira saída que fez teve um furo e nunca mais lhe pegou, eh, eh, eh!

Ao verificar que ele se encontrava a perder terreno em relação aos restantes decidi efectuar uma manobra de psicologia e disse-lhe que atrás dele vinha um grupo de velhinhos quase, quase a alcançá-lo. E era verdade! Eh, eh, eh! O facto é que resultou e o homem começou finalmente a pedalar, provando deste modo que possui um claro distúrbio psicológico mais conhecido pelo “síndrome do Calimero”, está sempre a queixar-se e a arranjar uma desculpa para andar mais devagarinho, eh, eh, eh…

Passado este pequeno episódio surge a grande manobra de diversão protagonizada pelo próprio! Quando saímos da estrada nacional, virando à direita em direcção a Valada, o Luís Mendes avisa que íamos virar e eu logo atrás dele fiz sinal com a mão aos restantes. Neste momento o nosso amigo Galamba tenta imitar-me, mas quando retira a mão do guiador pisa uma irregularidade no pavimento e dá um “tralho colossal” de nota 9,5 dando assim origem ao título desta crónica, eh, eh, eh, eh! Felizmente que os danos se resumiram a uma “lateral” bem dorida e a uma pequena fatia de fiambre tirada ao bracito esquerdo, eh, eh, eh. Agora a sério o momento poderia ter consequências mais graves caso houvesse trânsito automóvel naquela altura. Com isto tudo, não é que os velhinhos acabam por passar por nós, manchando ainda mais o currículo do Galamba, eh, eh, eh!

Já em valada do Ribatejo efectuámos uma paragem para tomar um café e comer qualquer coisa.

“Let´s look at the picture…”


Após este breve momento atravessámos a ponte de ferro em direcção a Muge.
À saída de Salvaterra, eis que o Galamba decide uma vez mais “dar nas vistas” ao furar o pneu traseiro. Valeu-lhe a preciosa ajuda dos colegas pois o homem nem uma bomba traz consigo!

“Let´s look at the picture…”


Substituída a câmara-de-ar e prontos para recomeçar a nossa marcha, dá-se um verdadeiro atentado ao nosso querido planeta Terra. Então não é que o Galamba num acto de barbárie atira a pobre câmara-de-ar furada para o meio das urtigas junto da berma, transformando o mundo num lugar pior para se viver? De pronto foi repreendido por todos nós e entretanto o Bruno recolheu a câmara-de-ar!
Mas não se pense que ele é uma criatura sem sentimentos pois ele sente…sente fome… sente sede…eh, eh, eh, eh!

Ok, ok, já basta de “bater” no Galamba, tenho estado a brincar com ele pois sei que posso.
Ele foi de facto o protagonista desta volta mas na verdade é um grande e verdadeiro amigo e espero que por esta hora já se encontre menos dorido.

Por hoje é tudo, boas pedaladas!

Grande abraço,

Charbel

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

SARDINHAS & COURATOS - 2011

By Charbel

Olá a todos,

Na passada 6ª feira à noite teve lugar mais uma fantástica volta do morcego!

Tratou-se da 2ª edição da volta “Sardinhas & Couratos” em Foros da Charneca e à semelhança do que aconteceu no ano passado, esta terá sido uma das melhores voltas nocturnas do ano.

Como habitualmente estiveram presentes os nossos amigos Moto clube de Lisboa.
O bando de “morcegos” era formado por mim, pelo Fernando Ferreira, Xando, Emanuel, Pégaso, Veiga, Xaruto, Xavier e Gil.

Munidos com uma parafernália de luzes ultra-sofisticadas, partimos pela estrada nacional. Após passarmos a Várzea, virámos em direcção ao canal a caminho de Benavente e depois Foros-de-Salvaterra.  
Na subida de cascalho a seguir ao aqueduto, dá-se a primeira “avaria” mecânica. O Fernando Ferreira simplesmente rebentou com a corrente e com o desviador. Era um rude golpe, pois ficaríamos irremediavelmente afastados da melhor parte da festa dos Foros-da-charneca. Nesta festa, a partir das 21 horas já se comem as sardinhas e os couratos, mas quem chegar atrasado já não tem hipóteses. Mas é aqui que entra a sabedoria do grande Fernando como a seguir poderemos constatar!  
Consertámos a corrente mas a bike falhava. Assim foi necessário dar-lhe um empurrãozinho até ao local da festa, onde nos aguardava a sua esposa e as filhas com uma mesa de campismo, utensílios para o churrasco e o mais importante, uma caixa com algumas sardinhas e couratos, juntamente com algum pão.
Tratou-se de um golpe de logística fantástico, mas o que o Fernando não previra era que o pelotão de “morcegos” se encontrava perigosamente esfomeado e desidratado, eh, eh, eh!
Juntámos os restos das brasas de todos os fogareiros num só, e preparámos o belo repasto. Para hidratar recorremos ao uso de uma régua de imperial, a qual não teve descanso durante toda a noite, num vaivém incessante, eh, eh, eh. Rapidamente o pão esgotou e tivemos que solicitar mais junto do bar da organização, mas quando o pão chegou já estava tudo devorado, eh, eh, eh. Agora era necessário encontrar mais sardinhas, mas enquanto a organização tentava ajudar-nos, já o Fernando estava a tratar de comprar uma “carrada” de bifanas. À medida que aparecia algo comestível, rapidamente desaparecia e assim aconteceu com as bifanas e a seguir com mais sardinhas, incrível! Foi um autêntico banquete.
Por esta altura já estava em palco um grupo de Heavy-metal que fazia as delícias do Veiga que protagonizava um espectáculo dentro do espectáculo, dançando sem parar, eh, eh, eh! Aliás, o título desta crónica bem que poderia ser "Veiga Show", eh, eh, eh...

Alerto a mentes mais conservadoras para o português vernáculo utilizado na faixa a seguir reproduzida, eh, eh, eh...

"Let´s look at the trailler..."

video
Entretanto decorria uma vacada que juntamente com os roqueiros encerrava a festa naquela noite. Pena é que a iluminação não nos permita ver da melhor forma a hilariante colhida que ali aconteceu.
Outro aspecto importante tem a ver com o facto do Xaruto ter conseguido esgotar o stock de câmaras-de-ar do pelotão e isto com o mesmo “abre-olhos”, eh, eh, eh. O homem substituía as câmaras-de-ar mas não retirava o pico do pneu!

"Let´s look at the trailler..."

video

Por fim abandonámos o local muito depois da meia-noite e rodámos a alta velocidade em direcção ao Finex onde ficámos até cerca das 4:00 da manhã em amena “cavaqueira”, mantendo assim a tradição e os níveis de hidratação, eh, eh, eh!

Por hoje é tudo, boas pedaladas!     

Grande abraço,

Charbel

domingo, 21 de agosto de 2011

"BIG FOOT"

By Charbel 

Olá a todos,

Em período de férias torna-se difícil recrutar bttistas suficientes para formar um pelotão “decente”, o que vale é que mesmo em cima da hora há sempre alguém disponível!

Foi o caso da última volta de Domingo. Estava eu de regresso da parte II das minhas férias e ainda em viagem quando enviei alguns SMS para o pessoal “estradista”. Normalmente a convocatória é efectuada via E-mail, mas desta vez teve de ser assim.

Às 8H00 partiram da minha casa, o Emanuel, o Rui Teixeira e eu próprio em direcção a Canha para mais uma voltinha de estrada de intensidade média. Esta volta tem uma duração média de 3H30, num total de quase 90 Km sem dificuldades de maior.

Depois de termos efectuado a volta de Sesimbra uma semana antes sem qualquer dificuldade, não se previam incidentes de maior, mas o facto é que o pessoal vinha um bocadinho “paralisado”, eh, eh, eh!

Para resolver o problema parámos no local habitual, palavras para quê?

Após este abastecimento tivemos que enfrentar um forte vento contra, mas a malta aguenta sempre…

Nos Foros de qualquer coisa que eu agora não me lembro, eh, eh, eh, voltámos a efectuar outro abastecimento, mas desta vez até chocolates foram usados como doping, eh, eh, eh…

Por alguma razão, o pessoal não ficou satisfeito e ao sair do tasco, resolveu “atacar” uma figueira mesmo ali ao lado como se não houvesse amanhã! Este hábito de roubar fruta já começa a ser preocupante, pois estes actos são praticados em público e à luz do dia sem qualquer pudor, eh, eh, eh. Acho mesmo que se o dono da figueira aparecesse naquele momento para defender a pobre árvore daquele impiedoso ataque, correria ele próprio sérios riscos de ser mordido por um dos bttistas esfomeados, eh, eh, eh…

O principal vilão foi o Emanuel pois até guardou figos maduros dentro jersey, mas o Rui Teixeira não ficou atrás visto que deglutia de forma selvática os pobres frutos sem sequer lhes retirar a casca. Da próxima vez que eu estiver perto dele irei ficar um pouco mais atento à forma de como se alimenta, pois já tenho sérias dúvidas de que ele retire o papel das barras energéticas que ingere, eh, eh, eh…

No meio deste frenesim, o Emanuel nem reparou que estava a pisar alguns figos que lhe iam caindo da boca e isso fez com que ficasse com o encaixe do pedal cheio de papas de figo, impossibilitando-o de pedalar em segurança. Na foto seguinte podemos verificar a delicada operação levada a cabo pelo próprio com a ajuda do Rui, afim de se resolver o problema.

Informo as pessoas mais sensíveis e impressionáveis para as imagens seguintes! É utilizada uma enorme ferramenta rudimentar, mas o pior de tudo é a estranha criatura saída de dentro do sapatinho do Emanuel!

“Let´s look at the picture…”

Horrível, não? Eu nunca tinha visto uma meia tão monstruosa, escondida dentro de um “sapatinho” 44! Hummm, parecia até que estávamos na presença do mítico "Big Foot", uuuuuhhhh, medo!

Resolvido o problema seguimos viagem sem mais imprevistos.

Por hoje é tudo, obrigado e bom dia!



Abraço,



Charbel

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

MONTIJO/SESIMBRA/MONTIJO (84 KM)

 By Charbel

Olá a todos,


No passado Domingo efectuámos uma volta de estrada muito peculiar, que surgiu de forma inesperada!

Os principais responsáveis foram os meus colegas de trabalho Tiago Fernandes e Nuno Fernandes. Acontece que os ouvi a combinar esta volta no escritório e de pronto me infiltrei na mesma, eh, eh, eh!
Mas a rede de "espiões" não ficava por aqui pois outro bttista que se encontrava por perto, escutara a conversa, e, qual "velho do Restelo" sentenciava: -Vocês vão fazer a subida de Sesimbra? Não sei se conseguem, no Domingo vou estar lá na praia...- tratava-se do nosso amigo Paulo Magalhães (membro dos Rasgatrilhos)!

Apesar deste mau agouro, fomos com o nosso projecto em frente e às 8:00 lá estávamos nós no Montijo, onde o nosso anfitrião Tiago nos aguardava. Vindos de Samora estavam presentes o Galamba, o Emanuel, o Rui Teixeira, o Rodolfo e eu. Mais à frente na zona de Brejos de Azeitão, juntar-se-ia ao pelotão o Nuno Fernandes.

O percurso foi fácil até nos aproximarmos de Sesimbra, local onde surgem as primeiras subidas que rapidamente dão lugar à vertiginosa descida até à praia.
Até aqui nada a registar a não ser o facto do nosso amigo Paulo Magalhães se encontrar na praia com a esposa e vir até ao nosso encontro para nos cumprimentar e talvez constatar com os próprios olhos se o nosso pelotão iria ou não conseguir efectuar a penosa subida de regresso, eh, eh, eh.
Despedimo-nos do Magalhães e partimos para a infernal escalada. Enquanto alguns colocavam a "tartaruga" apressadamente, vislumbrei um sinal de trânsito que indicava uma inclinação de 18%!!!!??? É verdade 18% e ainda nem tínhamos percorrido 50 metros, eh, eh, eh!
Após a primeira parte da subida resolvemos captar o momento com a praia em plano de fundo! Faltam os "Teenagers" Emanuel e Rodolfo e também o Tiago, que nem nos ouviram e continuaram a subir como se não houvesse amanhã!

"Leet´s Look at the picture..."
Se alguém julgava que seriam uns míseros 18% de inclinação que nos iriam deter...
Um pouco mais à frente e aproveitando o magnífico castelo de Sesimbra como cenário, tirámos por fim uma foto de grupo.

Depois foi praticamente sempre a rolar, mas para não quebrarmos a tradição fomos repor os níveis de vitaminas e sais minerais numa esplanada em Coina, eh, eh, eh...
O mais curioso é que desta vez a Coca-cola venceu a "mine", facto completamente inaceitável, eh, eh, eh! 
Foi uma volta com dificuldade média que serviu para "desenjoar" das voltas habituais e que merece ser repetida, principalmente devido à magnífica paisagem que nos oferece!
Por hoje é tudo, obrigado e bom dia!


Grande abraço,


Charbel



segunda-feira, 8 de agosto de 2011

BAPTISMO NA SERRA!

By Charbel


Olá a todos,

O passado Domingo foi um dia importante para os dois "teenagers" Emanuel e Rodolfo, mas também para o Rui Teixeira. Tratou-se do seu baptismo na “alta montanha”.

O pelotão era formado por 7 ciclistas, o que se revelou uma surpresa dadas as características da volta que nos esperava. Digo isto porque todos sabiam perfeitamente ao que iam pois já haviam sido avisados de que se tratava de uma volta bem durinha para quem não estivesse minimamente preparado.

A concentração aconteceu junto ao restaurante “a Torre” e estiveram presentes o Galamba, o Emanuel, o Pedro Romão, o Rui Teixeira, o Rodolfo, o Tiago e eu próprio.

Rolámos calmamente até Alenquer, mas antes de iniciarmos a dura “escalada”, tivemos que parar. O Rui Teixeira apresentava sintomas de desnutrição e queixava-se de uma perna. Nesse momento o Pedro Romão, qual médico do INEM, “saca” de um frasquinho com uma poção mágica que o Rui ingeriu avidamente na esperança de se tratar de uma guloseima, eh, eh, eh! Azar o dele, pois parece que a poção mágica tinha um sabor horrível a julgar pelas caretas que ele fez, no entanto o resultado foi o esperado pois o homem começou a subida a pedalar como se não houvesse amanhã!

Pena que o efeito tenha sido tão efémero pois desapareceu passado pouco tempo e o homem começou a sofrer a sério a meio da subida. Aquela subida em Alenquer, quando pensamos que vai terminar, constatamos que nem sequer chegámos a meio e o pior de tudo é que a inclinação aumenta brutalmente até cerca de 14%, eh, eh, eh!

Em contrapartida o Pedro e os “putos” pareciam estar no recreio e subiam com facilidade!!!???
Hum! Será que o Pedro também tomou a poção mágica?

Já para o Galamba os problemas eram os mesmos de sempre. Ou tem um problema técnico, ou um problema físico, ou um problema psicológico, ou diz que está velho, enfim, parece o Calimero, eh, eh, eh! Nesta ocasião, como se tratava do dia de estreia da sua nova bike de estrada “Cannondale”, o homem andava às voltas com problemas técnicos. Com tantos botões novos para carregar, falhou as mudanças e não conseguiu “encaixar” a “tartaruga” a tempo, eh, eh, eh!

Nesta altura o Tiago dava apoio ao Rui Teixeira que já me devia “rogar pragas”, esperando a melhor oportunidade para me dar um pontapé fazendo-me cair serra abaixo, eh, eh, eh. Chegados ao cimo desta maçadora subida, resolvemos tirar uma foto de grupo com o Montejunto como plano de fundo.

Neste momento passa um grupo de ciclistas e um deles simpaticamente ofereceu-se para tirar uma foto ao nosso pelotão.

A julgar pela foto, todos estavam felizes após aquela infernal subida.

A seguir aconteceu um selvagem acto de vilanagem! O “Demo” apoderou-se do pelotão e num ápice era vê-los a tomar de assalto os pomares das redondezas. Meus amigos, foi um espectáculo dantesco, que mais parecia um arrastão!
Na foto seguinte vemos o local onde o “bando” degustou o produto do roubo, eh, eh, eh. Até a fruta “com bicho” era devorada de forma selvática, eh, eh, eh.

"Let´s look at the picture..."
Depois deste espectáculo deprimente prosseguimos para a última etapa mais suave em direcção à Arruda-dos-vinhos, depois Carregado, V.F.Xira e por fim P.Alto e Samora Correia, perfazendo um total de 78,5 Km.

Por hoje é tudo, obrigado e bom dia.


Grande abraço,


Charbel


segunda-feira, 1 de agosto de 2011

VOLTA DE CANHA (84KM) - 31/07/2011

By Charbel


Olá a todos,

No Domingo efectuámos uma volta de estrada “caseira”!

O dia estava perfeito e no local da concentração compareci eu, o Sr. Presidente, o Galamba, o Miguel e também o Rui Teixeira e o seu filho Rodolfo. Estes dois últimos são nossos amigos da AREPA BTT.

Saímos em direcção à rotunda da J.de Deus, passando por St. Estêvão e depois S. Gabriel, local programado para se dar a divisão do grupo, visto que para alguns seria uma estreia a perfazer muita quilometragem. Era a segunda vez que o Miguel nos acompanhava pelo que achámos por bem que ele voltasse para trás. Mesmo assim fez 60 Km, tenho sido acompanhado no regresso pelo Galamba. O grupo ficou reduzido a 4 elementos e prosseguiu viagem até Canha.

Cumprindo a tradição, parámos no local habitual, afim de repormos os níveis de vitaminas e sais minerais, eh, eh, eh…

"Let´s look at the Picture"…
Neste momento o Rui e o Rodolfo ainda conseguiam sorrir, eh, eh, eh!

Foi o “baptismo” de longa distância para ambos, mas portaram-se muito bem até final. No total percorremos 84 Km, numa volta muito agradável.

Por hoje é tudo, obrigado e bom dia.

Abraço,


Charbel

segunda-feira, 25 de julho de 2011

VOLTA DO MORCEGO 22/07/2011 - FESTAS DE ST. ESTÊVÃO

By Charbel

Olá a todos,

Meus amigos a volta do Morcego de 22/07/2011 ficará para todo o sempre gravada nos nossos corações!
Neste momento já estarão alguns de vós a pensar: - Hummmm, lá está o Charbel outra vez a exagerar – mas o que acabo de dizer é a pura realidade.

Na passada 6ª feira reunimos 17 bttistas para um passeio nocturno até St. Estêvão, onde decorria a festa popular da sardinha assada. Dávamos, assim, continuidade às nossas voltas de Verão que tradicionalmente fazemos coincidir com as festas do Concelho.
Desta vez o pessoal do Moto clube de Lisboa não nos acompanhou, visto que já tinham outro evento agendado.
Para além da minha pessoa, estiveram presentes o Daniel, o Fernando Costa, o Xando, o Zé Latas, o Emanuel, o Marco, o Tó, o Márcio, o Carlos Valente, o Carlos Galamba, o Fernando Almeida (Fanana), o Pedro (Cascata) e ainda os nossos amigos da Gráfica Team de Benavente, o Joaquim Rodrigues, o Carapau, o Artur e ainda um outro amigo que acabou por regressar mais cedo.

Como é hábito, partimos com um enorme atraso de 40 minutos e como se não bastasse, logo a partir de Benavente começou a “maldição” dos furos! O furos foram tantos que o stock de câmaras-de-ar esgotou. Às 23H30 ainda estávamos em Vila Nova de St. Estêvão às voltas com os furos, com especial destaque para o Zé Latas.

Livres de problemas técnicos, lá chegámos a St.Estêvão, causando a habitual estupefacção nos populares que nos olhavam de forma estranha, eh, eh, eh. Parecia que estavam a ver uma comitiva de extra-terrestres amistosos com luzinhas por todo o lado, cujo principal objectivo era o de atacar a terra esgotando o seu stock de “mines”, eh, eh, eh…

Não estarei muito longe da verdade, pois àquela hora já estávamos muito desidratados e esfomeados!

É então que se algo de inédito acontece. Somos abordados por uma pequena comitiva de membros da comissão de festas de St.Estêvão que simpaticamente nos ofereceu águas, sumos, etc. Nesse momento agradecemos e quebrámos todo o “protocolo” ao perguntar: - E “mines”? Há? - De imediato a mensagem foi recebida e processada a alta velocidade.
Num ápice os simpáticos anfitriões abriram alas para nós passarmos por entre os populares, retirando as baias da estrada e abrindo um corredor humano por entre o largo da festa onde decorria um concerto de “Lucas & Mateus”, quase relegado para segundo plano, dado o aparato gerado com a nossa presença.

A viagem terminou dentro de um recinto fechado pertencente à comissão de festas, onde foram guardadas todas as bikes. Como se não bastasse esta agradável surpresa, que nos libertava para participarmos à vontade na festa ao ar livre, constatámos que a cortesia e enorme hospitalidade não acabava ali. Estupefactos, somos encaminhados (já apeados) até aos bastidores da festa, para uma autêntica sala VIP, que servia também para os artistas se prepararem para actuar no palco principal da festa.
Essa sala possuía várias mesas com comida colocada à nossa disposição.

Depois vimos a “luz”!

Sim, uma simpática anfitriã surge com uma gigantesca bandeja repleta de copos de cerveja, tudo oferecido sem qualquer tipo de reservas. Parecia que estávamos a sonhar, depois de uma entrada apoteótica e em grande estilo (parecia a chegada da volta a França, eh, eh, eh) éramos “mimados” com um autêntico banquete acompanhado pelo som da Tuna académica que se preparava para entrar em palco.
Quanto ao número de bandejas de cerveja que nos foram oferecidas...perdemos a conta, eh, eh, eh!
Foi de facto um momento inesquecível, pois a hospitalidade desta gente foi comovente para todos nós.
É claro que todos participámos na festa e decidimos comprar uma T-shirt à comissão de festas, alusiva ao evento.

À saída todo o aparato se repetiu, os nossos amigos abriram de novo um corredor por entre a multidão permitindo-nos uma saída rápida e em segurança.
O mais difícil foi “arrancarmos” alguns bttistas do local, eh, eh, eh! Alguns exclamavam: - Comida de borla, cerveja de borla e vocês querem ir embora? – É claro que não vou dizer quem era, eh, eh, eh, mas se lhe déssemos “asas” o homem ainda hoje lá estava, eh, eh, eh…

Para o ano que vem a presença do Clube de BTT na festa de St. Estêvão será uma certeza, e está já registada no nosso calendário de voltas e eventos.

O CBTTTL agradece publicamente a todos os amigos de St. Estêvão, em especial à comissão de Festas pela inesperada e calorosa recepção.


Abraços e beijinhos,

Paulo Charbel
CBTTTL