quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Rescaldo Muge 11.10.09

By Charbel


Olá Bttistas e amigos,

No passado Domingo realizamos a nossa volta em Muge, a convite da nossa delegação regional de Muge, na pessoa do bttista Pedro Romão.
O resultado foi fantástico, pois o pelotão era constituído por 28 bttistas, um número muito elevado se tivermos em conta que se tratou apenas de mais um treino.
Para além dos membros do CBTTTL, onde se incluem os membros das nossas delegações regionais de Muge, Lisboa e V.F.Xira, contámos com a presença dos nossos amigos de Benavente em representação dos Serviços Sociais da GNR, do Motoclube de Lisboa, da secção de BTT da AREPA, e ainda de outros amigos de Lisboa, Azeitão, Carregado e também de Muge.

A rua onde habita o nosso amigo Pedro Romão, nunca terá recebido tamanha concentração de bttistas. Com efeito, a nossa presença provocou o caos nesta artéria da pacata localidade ribatejana. Os vizinhos decerto ficaram espantados com tamanha azáfama de carros e bicicletas. Também a sua esposa deve ter ficado estupefacta com o facto do Pedro ter tantos amigos bttistas!

video

O ambiente era idêntico ao de um passeio organizado, mas este era realmente desorganizado, eh, eh, eh!
O início esteve quase comprometido, uma vez que as portas da carrinha do Sr. Presidente encravaram, impossibilitando o acesso a algumas bikes. O que valeu foi que o Sr. Presidente recorreu aos seus dotes de contorcionista, e qual serpente, através de uma porta lateral lá conseguiu resolver o assunto.

"Let´s look at the trailler"….

video

Ultrapassado este pequeno incidente, o pessoal preparou-se para a foto de grupo.















É claro que um tão grande número de bttistas, implica mais confusão, exigindo uma atenção redobrada. A ideia era efectuar o trajecto de uma anterior volta, pelo que a utilização do GPS do Carlos Fernandes e do Paulo Vasconcelos, se revelou preciosa, até porque o nosso anfitrião não podia estar em todo lado.
Apesar de tudo não se verificaram grandes problemas, apenas se notou a diferença de andamentos entre os participantes. Com tanta gente era natural que assim fosse, no entanto alguns elementos não tinham preparação mínima, pelo que muito cedo começaram a sofrer as consequências.
Assim o melhor mesmo era desfrutar da paisagem e encarar o treino apenas como um agradável passeio.

video

A dada altura atravessámos a linha do TGV, onde aproveitámos para reunir o grupo. Enquanto tal acontecia, lá andava o Miguel Paiva de um lado para o outro, sempre a pedalar, sempre a pedalar, o homem até enerva!

video

Mas temos mais uns videos de uns locais porreiros por onde passámos e um deles está censurado pois alguém recorreu ao português vernáculo, susceptivel de ferir sensibilidades, eh,
eh, eh! - Video censurado (não se ouve nada, claro, mas fica à vossa imaginação...)

video

Por motivos técnicos não nos foi possível colocar "pis", pelo que o melhor mesmo foi cortar o som!

video

Os primeiros quilómetros foram muito suaves e à base de estradões e de vez em quando lá vinham uns “vipes” e o pessoal desatava a pedalar como se não houvesse amanhã. Foi o que aconteceu num estradão enorme de terra batida onde o pessoal fez um sprint colectivo e “tresloucado” imagine-se, a 42 Km/h!!!??? Pena é que no final tenhamos constatado que nos havíamos enganado pois só deveríamos fazer alguns metros do tal estradão e não Km´s, eh, eh, eh!

video

Só na segunda metade do trajecto é que se sentiram algumas dificuldades, provocadas por algumas rampas de cascalho. A mais complicada obrigou mesmo o pessoal a desmontar a meio. A dada altura quando aguardávamos a chegada de um grupo mais atrasado, assistimos a um duplo “tralho” de dois motociclistas de ali faziam Motocross.

video

Não vemos o momento mais interessante (a queda), mas fica o registo possível.

No final, o ritmo foi mais puxado, um pouco a compensar o suor que não abundou no resto da volta. Ia tudo doido, mas volta que é volta tem que ter furos e alguns tralhos pelo meio, pelo que esta não fugiu à regra.
Até o Sr. Presidente “deu nas vistas” ao atirar-se para a areia, no entanto teve mesmo muito azar, pois conseguiu acertar com um joelho numa pedra, que quase o “mandou” para o estaleiro.
Pior sorte teve um amigo do Pedro. O homem já vinha de rastos e ainda por cima perto do final e numa descida sem perigo aparente, saltou-lhe o pneu da jante devido a um furo e “tralhou” de forma aparatosa, de tal modo que suspeitámos que tivesse fracturado a clavícula.

Nesta altura, quase todos haviam chegado junto dos carros, e o Pedro Romão foi de imediato buscar o colega de carro, visto que este apresentava muitas dores, que o impossibilitavam de prosseguir de bike. Faltavam ainda cerca de 10 km para o final, pelo que o homem necessitava mesmo de ajuda. Não fora este último episódio e tudo teria corrido lindamente, felizmente que foi menos grave, mas certamente que vai ter que parar por uns tempos. Desejamos-lhe as rápidas melhoras.

Em nome do CBTTTL, agradecemos a presença de todos os participantes.

Até breve,

Abraço,

Charbel

P.S.-Dentro em breve será facultado o acesso às fotos.

4 comentários:

Anónimo disse...

ola pessoal
o passeio para mim foi muito bom , pois como ainda nao tinha ido a MUGE, serviu para conhecer a zona e Da gloria do ribatejo , zona onde tambem andamos , faz-se um btt muito bom, tivemos alguns furos e quebras de ritmos de alguns colegas, mas isso é normal, em grupos grandes, o que interressa é não desistir, ao JORGE que caiu eu desejo rapidas melhoras, pois "CAIR" "TRALHAR"de iniçio é normal e eu que o diga !!
um abraço
Marçal

Daniel C. Brites disse...

Uma palavra de reconhecimento aqueles que estavam fora de forma e que eram estreantes nestas andanças que se portaram muito bem! Especialmente ao Galambas que se portou muito bem... ritmo sempre certinho e sempre a acompanhar o pelotão! Ele que anda sempre a "queixar-se" que não aguenta e não consegue... sendo apelidado por alguns (ou melhor, o Charbel, quem mais???) por Calimero, que se estava sempre a queixar ehehe Parabéns!

Boas pedaladas

DCB

HMGS 1970 disse...

Boas,

Parabens a todos pela presença de um grupo tão grande, nem sempre é facil andar em grupos tão grandes devido a diferença de ritmo entre o pessoal.

Ja o aspecto negativo para variar chama-se CHARBEL, é sempre o mesmo Frasquinho de Veneno.

Helder

Paulo disse...

Olá,

Até ver, o veneno é o melhor estimulante que consegui arranjar!
Pelos vistos já está a dar frutos. Talvez tenha que aumentar a dose para conseguir aumentar também o número de participantes nos nossos passeios! Refiro-me obviamente a certos e determinados "sócios".


Abraço e tudo de bom....


Fui...


Charbel