domingo, 15 de novembro de 2009

Mr. MAGOO

Olá amigos,

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!

O que é? Pensam que estou louco é? Vejam lá se tratam o Vice-presidente com mais respeito, tá? Mais á frente vão perceber o porquê do meu grito de horror! Neste momento ainda estou em convalescência, eh, eh, eh!
Esta crónica até que poderia ter vários outros títulos, tais como: "O Tornado", "O traidor", "O Marquês de Sade", etc, etc, etc, mas decidi-me por "Mr. Magoo"!
E agora perguntam vocês: -E porquê?- Porque, neste Domingo decidi fazer estrada, em sinal de solidariedade para com o nosso amigo Magoo, ups, quero dizer Galamba, Magoo Galamba.......... fonix, não é nada disto que eu queria dizer, a solidariedade é para com o nosso amigo Carlos Galamba, assim é que é, eh, eh, eh!

Pois é, meus amigos. Acontece que o homem teve que ir andar sem as suas lentes de contacto, pelo que quase parecia um rato cego e eu fui fazer de guia para ele não cair em nenhum buraco, e também para não se perder, não fosse o homem ir "parar" a Marrocos, eh, eh, eh.
O local de partida combinado era frente à Torre, onde fomos visitados pelo grande Zé Carlos, que decidiu ir com o restante pessoal fazer BTT.
Começámos a andar e eis que surge o imprevisto! Não é que naquele preciso momento "decidi" abortar uma volta até St. Estêvão de 50 Km, solicitada pelo Galamba previamente?
Há coisas fantásticas não há? E não é que também nesse preciso momento senti o chamamento da serra? Uuuuuu, medo!

Como sei que o Galamba é um tipo porreiro e que não vira nunca a cara à luta, lá o convenci a seguirmos via recta do Cabo. Nesse mesmo momento dissemos adeus ao Carlos Fernandes que se cruzou de carro connosco. Vinha de V.F.Xira, ao encontro dos restantes bttistas na Esteveira.
O vento soprava violentamente, mas era a favor, pelo que fizemos a recta a cerca de 30 Km/h, sem esforço.
Chegados a V.F.Xira, sugeri-lhe que seguíssemos em direcção ao Carregado de onde seguiríamos para a Arruda pelos Cadafais, mas uma vez mais alterei os planos e pensei efectuar um percurso "alternativo". No Carregado virámos em direcção a Santana da Carnota, mas pelo meio fizemos alguma subidas "maradas" que íamos encontrando.Virámos para uma aldeia minúscula chamada Canhestro onde fizemos subidas e mais subidas até Santana da Carnota.

Daí seguimos para Cruz do vento onde nos aguardava outra subida, mas desta vez estávamos completamente expostos ao vento fortíssimo que "batia" de frente e ficamos esclarecidíssimos em relação ao nome daquele lugar, dassss! Ainda por cima, como estávamos a seguir apenas o meu sentido de orientação, decidi acelerar para tentar "apanhar" um outro ciclista que seguia mais à frente para lhe pedir informações.
Era um membro da equipa de ciclismo de Santana da Carnota que por ali andava a treinar. Dois dedos de conversa e chega o Galamba já todo f#d!d*, eh, eh, eh, eh....
Por esta altura comecei a temer pela minha integridade física e tomei as devidas precauções em relação ao Galamba, mantendo alguma distância, eh, eh, eh.
A coisa estava mesmo feia, pois até a descer custava e acho que ele já devia estar a pensar num plano maquiavélico para me empurrar por uma ribanceira abaixo quando não estivesse ninguém a ver, eh, eh, eh!

Na foto seguinte já se vislumbrava finalmente a Arruda-dos-vinhos. Quando tirei esta foto passou um Zuca de chinelinho e sem peúguitos. Estes Zucas vêm programados para o Sol e não há nada a fazer. Mesmo que chova, como era o caso!

Chegámos finalmente à Arruda com uns valentes Km´s a mais e também umas 400 subidas que não estavam nos nossos planos. Sim é verdade, a coisa descontrolou-se de tal forma que até eu já estava farto daquilo e começava a sofrer, porque vinha de uma paragem de duas semanas e como a volta não estava planeada assim, nem eu nem o Galamba, trazíamos abastecimento! Seguimos depois por S. João-dos-Montes até à Alhandra, onde existe uma descida, efectuada normalmente a 60 ou 70 Km/h, mas que por culpa do intenso vento não conseguíamos passar dos 35 Km/h (!!!??). Prosseguimos pela nova ciclovia até V.F.Xira.

Na foto seguinte, conseguimos facilmente verificar o verdadeiro "estado de espírito" do homem!
Era do tipo: "Ah! se eu pudesse mandava já o Vice para dentro do Tejo, para ser devorado pelas enguias, mas tenho de resistir pois estão aqui muitas testemunhas oculares, grrr!"

O Galamba até que me devia estar agradecido, pois preocupado com o seu bem-estar, até o levei de elevador, eh, eh!

Let´s look at the trailler....



Depois meus amigos, veio o esperado pesadelo na Lezíria. O vento era ciclónico (não estou a exagerar) e era contra. O Galamba acabava de dar o estoiro, de tal forma que tive de efectuar toda a recta do Cabo a empurrar o homem. Como consequência, também eu dei o estoiro no Porto Alto, mas pelo menos o Galamba já estava "entregue". Na ponte do Porto Alto tornámo-nos a cruzar com o Carlos Fernandes.
Arrastei-me então até Samora, perfazendo uns magníficos 72 Km´s efectuados em 4 horas!!!???

Por hoje é tudo, vou telefonar ao Galamba para saber se ainda está ligado ao tripé de soro, eh, eh, eh!

Fui.....

Charbel

6 comentários:

Anónimo disse...

Galambas, mais uma grande tareia!!! Metes-te com o Charbel... esse maluco! Tiveste uma excelente oportunidade de mandar o Charbel pela ponte de VFX e depois dizias que era do vento! ehehe

Para a semana... outra!!!

Saudações

DCB

Vasco Parreira disse...

Grande aventura Galambas...

Nesta altura do campeonato já devias de saber que as distâncias e o grau de dificuldade (das voltas) quer do Presidente, quer do vice-presidente estão sempre adulteradas.

Um Abraço,
Vasco

Ps: Isso de sair sem lentes de contacto é obra.

PauloMV disse...

Estive para ir nesta aventura mas o concerto dos Depeche Mode no Sábado à noite deu cabo de mim. Só consegui acordar às 9h30 com as costas lixadas e um tremendo torcicolo.
Hoje pareço um robot quando olho para a esquerda ou para baixo. Incomoda para caraças. Dass...
Mas valeu bastante a pena!
Alguém daqui foi?

Domingo lá estarei no evento da AREPA. 38kms porque o treino tem sido escasso. :)

Abraço a todos

Paulo V

Paulo disse...

Olá Paulo,

Que inveja! Esse concerto é daqueles que "marcam". Eu também sou fan de Depeche desde 82 (http://pt.wikipedia.org/wiki/A_Broken_Frame) quando o meu irmão comprou o album "A broken frame" tinha eu 11 anos.
Quanto a torcicolos, já sou especialista. Colocas pomada de aquecimento no pescoço e tapas com um cachecol, vais ver que vai "arder" tanto que até te esqueces da dor do torcicolo, eh, eh, eh. Nunca falha!

Grande abraço,

Charbel

Anónimo disse...

Pessoal, bom dia,
O Vice quis me matar, pois a volta inicial era ir a St. Estevão e demos uma volta pelo Ribatejo. Foi duro pra burro, subidas a perder de vista, sempre com o vento contra e chuva, bolas. À vinda, a recta do cabo parecia interminável, sempre com o vento de frente, o Vice teve que me empurrar, pois já não dava mais. Mas é como o Zé Carlos diz, com treino isto passa.
Um abraço,
Carlos Galamba

Alcides disse...

Ganda galambas,
mais uns treinos e começas a ser tu a dar tareias na malta.
fica bem e boa recuperação para domingo eheh