quarta-feira, 28 de outubro de 2009

A PENSÃO BRITES.

By Sérgio Silva



Olá amigos,

Na passada 5ª feira recebemos a confirmação do Matias! Já tinha a nova Bike do Hugo na sua loja.

Fiquei um pouco renitente em aceitar logo o convite para ir a Verim para ir buscá-la e aproveitar para fazer algum BTT com o pessoal, pois neste fim de semana que passou realizou-se o Festibike em Santarém.
Por fim aceitei, principalmente porque a camaradagem era boa e a zona onde fomos andar é espectacular para a prática do BTT.
Depois de termos a bike nova em nosso poder, regressámos a Chaves mais concretamente a Faiões onde residem os sogros do Zé Carlos. Fomos recebidos com um belo almoço, à base de cabrito e só vos posso dizer que estava divinal!
Chegou então a hora do BTT. O Zé combinou o local de partida com o André Eanes, um autóctone de Faiões que eu já conhecia de anteriores visitas e que aproveito para apresentar.
Participa na Taça de Portugal de XCO e Campeonato Nacional da Modalidade. Este ano no Campeonato Nacional de XCO, no escalão Sub. 23, ficou em 3ºlugar, e participou em duas provas da taça do Mundo de XCO, uma em Espanha e outra na Áustria.
Comparecemos no local combinado, eu, o Zé, o Hugo e o Tiago, onde já nos aguardavam o André, o seu irmão Daniel Eanes e mais um amigo, o Hugo Azevedo.


Partimos então para a nossa voltinha e começamos logo a subir, e bem, pois quanto mais avançávamos maior era a inclinação. Mas era disto que nós gostava-mos e até dada altura o nosso rendimento até estava a ser razoável, mas depressa passou de razoável a medíocre, pois quando chegou a altura de mostrar-mos o nosso nível técnico tudo descambou. Fizemos singletrack´s espectaculares tanto a subir como a descer e fizemos muitos a pé, até que a certa altura o André nos diz: -Esta malta gosta é de andar a pé, são um bocado fracos a nível técnico!
Dito isto o Hugo responde: - Ó André não gozes connosco pá, pois nós lá na nossa aldeia, por aquilo que nos dizem somos os melhorzitos que por lá há.
E diz o Zé Carlos: - Sabes Sérgio quem gostava de estar aqui com o pessoal era o Canas ele gosta é disto...
Depois do banho de técnica e de algumas dicas que o André nos deu, regressamos ao nosso local de pernoita, imaginem o nome desse local ... "Pensão Brites"! O clã do nosso presidente possuía "tentáculos" até aqui!


Uma vez mais a família do Zé Carlos convidou-nos para jantar, convite prontamente aceite por insistência do Zé.
O jantar era um arroz de cabidela, feito com carnes caseiras. Para mim foi o melhor arroz de cabidela que eu alguma vez comi, pelo que desde já dou os parabéns à cozinheira. Estava tão bom que todos repetiram e a acompanhar o tomámos um vinho também ele caseiro, uma obra prima do Senhor Nicolau (sogro do Zé), que tentou ver se a malta do Ribatejo se aguentava com as suas pomadas realmente boas. Passámos pelos vinhos, licores vários e jeropigas brancas e tintas, só não me recordo é a que horas o jantar acabou, apenas sei que acabou bastante tarde e com a certeza de que deixamos boa impressão ao Sr. Nicolau das gentes Samorenses.
No Domingo combinamos participar num passeio em Verim em Espanha, mas a chuva nesse Domingo era tão forte que resolvemos cumprimentar o pessoal espanhol e regressar a Faiões.
O Sr. Nicolau levou-nos então para uma visita guiada a Faiões, onde almoçámos no restaurante "Manco". Mais uma vez comemos mesmo muito bem. Comemos umas belas postas de carne barrosã acompanhada com batatas a murro, salada, arroz e uma bela vinhaça da casa. De facto, nesta região come-se mesmo muito bem.
Para concluir, aproveito para deixar uma palavra de agradecimento pela simpatia e hospitalidade, com que os sogros do Zé nos receberam em sua casa.
A reter, aqui ficam algumas frases do nosso querido anfitrião:
-"Ó mulher os rapazes gostam é de vinho!"
-"Não fumas, não bebes. Não comes, não.....", o melhor é ficarmos por aqui!

Grande abraço,

Sérgio

domingo, 25 de outubro de 2009

O GRANDE SALVAMENTO.

By Carlos Fernandes

Embora tenha chumbado na cadeira de cronista vou aventurar-me a mandar umas bocas sobre o passeio de domingo 25.10.09.

À partida do ringue da Esteveira éramos 8 elementos: Carlos Fernandes, Charbel, Vasco Parreira, João Aires, Miguel Paiva, Daniel Brites, Rui Rodrigo e o Bruno que é amigo do Daniel e por sinal um bttista bem preparado.
É de destacar que pela 1ª vez o presidente apareceu às 8h, minto 8:10h afinal mesmo mudando a hora não consegue cumprir horários como qualquer cidadão normal faz.
Passados alguns kms são detectados mais 2 atrasados (o Alcides e o Vasco, um novo elemento), que provavelmente não tinham dado conta da mudança da hora.

video

Depois do grupo ter passado a 10 elementos arrancámos rumo à aldeia do peixe tendo encontrado pelo caminho o Sr. Domingos que fazia o seu treino isoladamente com rodas de estrada.
O ritmo imprimido era simpático ao ponto de a dada altura o Vasco Parreira ter soltado um desabafo que iria participar na maratona de Grândola nos 80 kms, é obra!!! Eu não fazia melhor… No entanto no desenrolar do percurso o jovem afoito lá caiu na real e soltou um contra-desabafo dizendo que já tinha desistido de Grândola.
Este passeio teve também um momento para a prática da boa acção diária. O Charbel com o seu olho clínico detectou um descalço de raça canina, esfomeado e com o cromado todo riscado dentro da vala praticamente vazia de água. O Miguel Paiva demonstrando uma invejável iniciativa e disponibilidade descalçou-se e desceu para o fundo da vala para salvar o tal descalço, manifestando com tudo algum receio pois o bicho tinha o cromado bastante danificado e dava a entender que poderia ter alguma doença de pele. Mas lá se aventurou entregando-o ao Alcides que já estava na posição de ajuda no degrau lateral da vala.
Na tentativa de lhe aliviar a dor de estômago foi servido ao descalço uma barra de cereais que apreciou efusivamente e um cubo de marmelada ao qual não passou patavina!
Alerto para algum vocabulário menos próprio, mas nada de muito grave, eh, eh, eh!

video

Arrancamos de seguida para o resto do percurso. A dada altura o Vasco Parreira como tinha desistido de Grândola encurtou o caminho e foi mais cedo tomar banho. Os restantes alargaram um pouco mais a volta num percurso total de 72 km.
No próximo filme o vocabulário piorou a olhos vistos, pelo que se desaconselha a pessoas mais sensíveis!

Let´s look at the trailler......

video

Uma palavra para o Rui Rodrigo que regressou após prolongada ausência e portou-se muito bem.

Foi uma volta bem porreira que deu para deixar as pernas à rasca!


Um abraço,


Carlos Fernandes

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Passeio de BTT "Trilho Vale Cobrão" 18 Outubro 2009


No passsado Domingo efectuou-se o passeio de BTT da CMB "Trilho Vale Cobrão" nos terrenos da Companhia das Lezirias, infelizmente não tenho matéria para fazer a crónica, ou melhor dizendo, só tenho aspectos negativos e não queria reflectir isso na crónica (mas fui obrigado!!!).

Face a minha má disposição não usufrui do passeio, tendo sido efectuado sempre em esforço e praticamente na cauda do pelotão. Os últimos 15Km foram percorridos na carrinha da organização.



Quantas pessoas participaram? O trajecto foi porreiro? Foi dificil?
Pois... não sei! Estava ocupado a tentar decidir se devia vomitar, chamar o INEM, esperar pela carrinha vassoura... eheheh

Nota: Esta crónica foi "ligeiramente" alterada pela Direcção do CBTT TL mas em nada retira a verdade dos factos nem sequer exagera um pouquinho!

Abraço,

Vasco

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Montanha Russa em Alhandra

by João Marçal

No passado dia 17 de outubro, levei a maior tareia de btt da minha vida.
saímos de Samora ás 7.30h indo ter com o zé Carlos a casa dele no Porto Alto, eu , o Hugo, o Miguel Pavia, daqui fomos para Vila Franca de Xira onde apareceram mais colegas de Benavente num total de 11 elementos.
Deixamos os carros, subimos pelo Bom sucesso em direção aos... Himalaias !!!
Não eram , mas mais pareciam pois as subidas e descidas eram tantas e tão inclinadas , que sempre que subia benzia-me , pois não sabia se iria precisar de ajuda do divino.....
Habituado a rolar, apanhei um valente susto nesta montanha russa diabólica, em que quem tiver força nas pernas é rei e senhor, mas não é o meu caso.
Algumas subidas tiveram de ser a pé pois eu não estou habituado a .....montanhismo de bicicleta...???? A pois é !!!
Foram 61 km no sábado, em que 38 foram de btt duro, e os ultimos 23 de estrada rápida, cerca de 30 km/ horas de regresso até Vila Franca.
É claro que aqui o pessoal já estava todo roto e grande parte do pessoal veio mais atrasado, eu aqui senti-me bem , pois é o meu habitat natural e ainda vi abrir com o HUGO e o Zé Carlos .
O pessoal está a precisar de uns treinos destes para começar andar a sério.
um abraço e boas pedaladas

João Marçal

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Rescaldo Muge 11.10.09

By Charbel


Olá Bttistas e amigos,

No passado Domingo realizamos a nossa volta em Muge, a convite da nossa delegação regional de Muge, na pessoa do bttista Pedro Romão.
O resultado foi fantástico, pois o pelotão era constituído por 28 bttistas, um número muito elevado se tivermos em conta que se tratou apenas de mais um treino.
Para além dos membros do CBTTTL, onde se incluem os membros das nossas delegações regionais de Muge, Lisboa e V.F.Xira, contámos com a presença dos nossos amigos de Benavente em representação dos Serviços Sociais da GNR, do Motoclube de Lisboa, da secção de BTT da AREPA, e ainda de outros amigos de Lisboa, Azeitão, Carregado e também de Muge.

A rua onde habita o nosso amigo Pedro Romão, nunca terá recebido tamanha concentração de bttistas. Com efeito, a nossa presença provocou o caos nesta artéria da pacata localidade ribatejana. Os vizinhos decerto ficaram espantados com tamanha azáfama de carros e bicicletas. Também a sua esposa deve ter ficado estupefacta com o facto do Pedro ter tantos amigos bttistas!

video

O ambiente era idêntico ao de um passeio organizado, mas este era realmente desorganizado, eh, eh, eh!
O início esteve quase comprometido, uma vez que as portas da carrinha do Sr. Presidente encravaram, impossibilitando o acesso a algumas bikes. O que valeu foi que o Sr. Presidente recorreu aos seus dotes de contorcionista, e qual serpente, através de uma porta lateral lá conseguiu resolver o assunto.

"Let´s look at the trailler"….

video

Ultrapassado este pequeno incidente, o pessoal preparou-se para a foto de grupo.















É claro que um tão grande número de bttistas, implica mais confusão, exigindo uma atenção redobrada. A ideia era efectuar o trajecto de uma anterior volta, pelo que a utilização do GPS do Carlos Fernandes e do Paulo Vasconcelos, se revelou preciosa, até porque o nosso anfitrião não podia estar em todo lado.
Apesar de tudo não se verificaram grandes problemas, apenas se notou a diferença de andamentos entre os participantes. Com tanta gente era natural que assim fosse, no entanto alguns elementos não tinham preparação mínima, pelo que muito cedo começaram a sofrer as consequências.
Assim o melhor mesmo era desfrutar da paisagem e encarar o treino apenas como um agradável passeio.

video

A dada altura atravessámos a linha do TGV, onde aproveitámos para reunir o grupo. Enquanto tal acontecia, lá andava o Miguel Paiva de um lado para o outro, sempre a pedalar, sempre a pedalar, o homem até enerva!

video

Mas temos mais uns videos de uns locais porreiros por onde passámos e um deles está censurado pois alguém recorreu ao português vernáculo, susceptivel de ferir sensibilidades, eh,
eh, eh! - Video censurado (não se ouve nada, claro, mas fica à vossa imaginação...)

video

Por motivos técnicos não nos foi possível colocar "pis", pelo que o melhor mesmo foi cortar o som!

video

Os primeiros quilómetros foram muito suaves e à base de estradões e de vez em quando lá vinham uns “vipes” e o pessoal desatava a pedalar como se não houvesse amanhã. Foi o que aconteceu num estradão enorme de terra batida onde o pessoal fez um sprint colectivo e “tresloucado” imagine-se, a 42 Km/h!!!??? Pena é que no final tenhamos constatado que nos havíamos enganado pois só deveríamos fazer alguns metros do tal estradão e não Km´s, eh, eh, eh!

video

Só na segunda metade do trajecto é que se sentiram algumas dificuldades, provocadas por algumas rampas de cascalho. A mais complicada obrigou mesmo o pessoal a desmontar a meio. A dada altura quando aguardávamos a chegada de um grupo mais atrasado, assistimos a um duplo “tralho” de dois motociclistas de ali faziam Motocross.

video

Não vemos o momento mais interessante (a queda), mas fica o registo possível.

No final, o ritmo foi mais puxado, um pouco a compensar o suor que não abundou no resto da volta. Ia tudo doido, mas volta que é volta tem que ter furos e alguns tralhos pelo meio, pelo que esta não fugiu à regra.
Até o Sr. Presidente “deu nas vistas” ao atirar-se para a areia, no entanto teve mesmo muito azar, pois conseguiu acertar com um joelho numa pedra, que quase o “mandou” para o estaleiro.
Pior sorte teve um amigo do Pedro. O homem já vinha de rastos e ainda por cima perto do final e numa descida sem perigo aparente, saltou-lhe o pneu da jante devido a um furo e “tralhou” de forma aparatosa, de tal modo que suspeitámos que tivesse fracturado a clavícula.

Nesta altura, quase todos haviam chegado junto dos carros, e o Pedro Romão foi de imediato buscar o colega de carro, visto que este apresentava muitas dores, que o impossibilitavam de prosseguir de bike. Faltavam ainda cerca de 10 km para o final, pelo que o homem necessitava mesmo de ajuda. Não fora este último episódio e tudo teria corrido lindamente, felizmente que foi menos grave, mas certamente que vai ter que parar por uns tempos. Desejamos-lhe as rápidas melhoras.

Em nome do CBTTTL, agradecemos a presença de todos os participantes.

Até breve,

Abraço,

Charbel

P.S.-Dentro em breve será facultado o acesso às fotos.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

O baú. - 17/04/2007

Olá Bttistas,

A recente acusação de que fui vítima (ir ao baú), por parte do nosso ilustre colega Hélder, teve o condão de me motivar na recuperação das nossas crónicas e notícias anteriores à criação do Blogue. Por coincidência, em muitos desses tesourinhos, um dos principais visados é.....imaginem quem? Sim, acertaram, eh, eh, eh....

Assim, tenho o prazer de inaugurar este novo "projecto" paralelo que se encontrava na gaveta.
Esta pequena notícia é datada de 17/04/2007 e retrata um acontecimento inédito, quando o colega visado dava ainda os seus primeiros "passos" na modalidade, aqui vai:

Título: Rescaldo da Maratona da Barragem de Magos / Foto inédita
Boa tarde amigos Bttistas,

Eis a prova que faltava! Isto foi o que aconteceu ao nosso amigo Hélder no Domingo (ao Km40?).




Os organizadores afirmam que este acto tresloucado, foi causado deliberadamente e sem motivo aparente!
Uma testemunha ocular afirmou à posteriori:
- "Epá! Ê estava aqui sentado num chaparro, pescando mêsme, mêsme, à bêrinha da Barragem. Di repente vi o moço a ser ultrapassado por um gaito de 11 anitos. Nã sê o que lhe passou pela cabeça, o moço atirou-se pa dentro da barragem.
Ê cá nã percebi se foi uma câimbra, se foi com os nervos que o moço se atirou......só sê
dizeri que ele nã se calava, ai a minha baiqui ai a minha baiqui nova......ê cá nã percebi nada porra!" -

Sim é verdade, temos que ser solidários para com o nosso amigo! Logo na estreia da sua nova bike, tinha que tralhar.....tá mal! Eh, eh, eh,eh............
Para demonstrar a minha solidariedade, no próximo fim-de-semana vou participar com ele no passeio da junta.

Ah! E mais, o meu filhinho Simão de três anos também vai na sua bike com rodinhas. Estou convencido que "eles" vão aguentar, ah, ah, ah, ah, ah, ah, ah,ah,........................

Abraços,


Charbel


Este episódio era apenas mais um que viria a caracterizar o modo como o nosso amigo Hélder, estava na modalidade, ou seja, sempre a "tralhar". Claro que se registaram alguns progressos. Eu próprio fui responsável pela entrada dele no mundo do BTT, ajudando até na sua aprendizagem. Acto irresponsável dirão uns, acto de misericórdia dirão outros, visto que o ajudei a integrar-se mais facilmente neste "universo".

Enfim, para todos os efeitos foi connosco que ele aprendeu a andar de bike e a superar a barreira do Km 40! Apesar da sua aparente forma física, ele sempre dava o "estoiro" ao Km 40!

Felizmente que esses tempos já lá vão.

Obrigado e bom dia!


Fui.....

Charbel

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

AIR RACE À MODA DE SAMORA!

Olá bttistas,


Como já será do conhecimento geral, o nosso grandioso clube, destaca-se por ser multi-facetado! Sim, de facto temos de tudo o que é actividade desportiva para além do BTT.

E agora perguntam vocês: -Mas.....que diabo! O que será que ele está a inventar desta vez? - Eu? Nada. Eu nunca invento! Tudo o que aqui é relatado, é a pura realidade e qualquer semelhança com a ficção será pura coincidência, eh, eh, eh! Confusos? Eu passo a explicar.

Decerto que alguns de vós já terão notado as ausências do nosso amigo Hélder! Pois é, pois é. Agora tudo se tornou claro.

"Let´s look at the trailler", eh, eh, eh.....

video

Chocados com a minha descoberta? Pois é meus amigos, ele andava a treinar para esse grande evento designado por: "AIR RACE NA LEZÍRIA".

Agora percebo porque razão os professores passavam o tempo a dizer que ele era um "cabeça no ar".

video

No próximo filme, podemos facilmente verificar que ele tenta esconder a cara, quando se apercebe da minha presença. De nada adiantou, pois as imagens são nítidas e podem comprovar a minha afirmação, eh, eh, eh!

video

Como podem imaginar corri sérios riscos na recolha secreta destas imagens, mas valeu a pena.

video

Assim, revelo ao mundo esta nova faceta do nosso amigo Hélder, que explica a sua tão prolongada ausência, junto dos seus colegas do CBTTTL, eh, eh, eh.... É a loucura meus amigos, espero que se tenham divertido tanto quanto eu. Foi um prazer.

Ok, ok, não é preciso agradecer.

Por hoje é tudo, até breve!

Fui...........

Charbel

BBC VIDA SELVAGEM

Olá a todos,


Aaaaaah, pois é! Para os mais distraídos, informo que a selva está mesmo aqui à porta!

Nem o famoso David Attenborough, da BBC, poderia suspeitar de tal facto, mas eu explico.

No passado dia 6 de Setembro, fui fazer o circuito de Belmonte com o Fernando Ferreira e com o estreante Rui Barbosa. Aproveito para vos informar que o homem é rijo e até acho que tem um bom potencial, que melhoraria substancialmente se ele decidisse deixar de fumar e por outro lado deixasse de insistir em utilizar a pedaleira grande em tudo o que é subida que lhe aparece pela frente.

Quando digo teimosia até que estou a ser simpático pois o homem até faz nervos, eh, eh, eh! Nas piores (melhores) subidas de Belmonte era vê-lo a ficar para trás. Quando eu e o Fernando atinjiamos o topo e lhe dizíamos para utilizar mudanças mais leves, o homem fazia "orelhas moucas".

A sua teimosia era tal que até lhe gritava: -Pá para que é que os homens inventaram as mudanças se tu não as utilizas?- Mas enfim, mesmo quase parado e a sofrer o homem lá foi subindo!

É no regresso que começámos a "inventar", pois na saída dos arrozais mesmo antes do início do alcatrão que dá acesso ao cruzamento do estádio do Samora, que decidimos virar à direita e explorar o terreno, na expectativa de encontrar uma passagem junto ao rio.

Eis o resultado:



Era a selva, meus amigos! Mesmo às portas da cidade, lá está ela e parece que todos a ignoram, assim como o perigo que ela encerra, eh, eh, eh.....

Na foto seguinte, podemos constatar que já me desenvencilhei das entranhas da selva e já me encontro na companhia do Fernando!



Em relação às espécies lá existentes nada irei adiantar! Basta que vejam os próximos episódios de BBC VIDA SELVAGEM, eh, eh, eh!


Fui...........



Charbel

terça-feira, 6 de outubro de 2009

O Rouxinol tímido.

Olá amigos,


No passado Domingo, o nosso grandioso clube teve a honra de poder reunir alguns dos seus mais ilustres membros, para mais um agradável passeio!
É verdade, o pelotão era constituído por mim, pelo João Marçal, João Aires, Sr. Domingos, Vasco, Sérgio, o nosso amigo Tiago e imaginem quem mais………….o maior, o magnífico, o imbatível, o campeão ……….. ok, ok, já vou dizer quem……..o grande Zé Carlos!
Sim, em carne e osso, meus amigos! É caso para dizer que “bom filho a casa torna”, tal foi o seu período de ausência, junto de nós. O facto de ele participar em tudo o que é Maratona em Portugal, a par dos seus duros treinos em altitude e em locais inóspitos, retiram-lhe tempo para andar connosco, comuns mortais, eh, eh, eh…..
Depois de tantos elogios, pode ser que ele já me tenha perdoado o facto de lhe ter chamado “cromo”, eh, eh, eh! De facto no Domingo, afirmei que tínhamos os cromos todos connosco, mas não foi com intenções menos próprias, quando utilizei esse termo era no sentido positivo da coisa. Todos nós quando éramos crianças coleccionamos os ditos cujos e os "cromos" mais difíceis eram os mais desejados, porque por norma eram os melhores, ok? Será que me safei desta? Hummm, não me parece, eh, eh, eh!

Voltando à nossa volta, informo que na véspera havia formado dois grupos, um para estrada e outro para BTT. O de estrada iria ao encontro do Paulo Magalhães, do Clube “Rasga Trilhos”, em Vila Franca de Xira, para depois seguirmos até à Arruda-dos-vinhos. Acontece que o Magalhães “abortou” a volta avisando-me via SMS, logo de manhã cedo. Ao chegarmos todos à Esteveira, fomos "brindados" com a presença do grande Fernando Costa, que nos foi cumprimentar, vindo directamente da “nigth”???!!!! Ganda maluco!
Foi então que o pessoal me desafiou a mim e ao Aires a trocar de bike e ir fazer BTT. O Fernando prontificou-se a emprestar a sua magnífica KTM de carbono ao João Aires, permitindo assim que fossemos todos fazer BTT. E assim, lá fomos em direcção à minha casa (que fica mesmo em frente à casa do Nando) para trocar de bike. O pessoal aproveitou para repor o ar dos pneus e lubrificar correntes.
Tal foi a “algazarra” que até os meus “Gremlins “ acordaram. Pois é, o mais difícil foi explicar à minha filhinha de quatro anos, que o barulho que vinha do jardim não era de um monstro, mas sim de um colega do papá, que tinha uma voz…..como direi…..um bocadinho mais grossa do que as pessoas “normais”, eh, eh, eh! Sim, é isso mesmo que estão a pensar, era a voz de “trovão” do Zé Carlos, eh, eh, eh…

Já em plenos trilhos da lezíria até dava gosto ouvir o nosso amigo Zé Carlos a cantar ópera, um verdadeiro Tenor. É verdade, o homem estava certamente muito feliz por voltar a andar com os colegas do CBTTTL. Estava eufórico, mas infelizmente é tímido, muuuito tímido! De cada vez que eu tentava registar o seu belo canto, ele de imediato se calava, conforme poderão constatar na curta-metragem.


video


Pois é, como puderam verificar o homem é tímido e não há nada a fazer!
Depois de atravessarmos a ponte pedonal entre Benavente e Salvaterra o pessoal parou. Tratava-se do selim da KTM que estava demasiado baixo para o Aires, não permitindo que disfrutasse em pleno da sua "nova" montada, e não foi nada fácil levantá-lo pois estava literalmente colado.
A seguir abastecemos na Aldeia do Peixe e tornámos a seguir pelo canal, onde um pouco antes de este terminar, o Sérgio presenteou-nos com uma fulminante incursão pelos bosques circundantes onde apanhámos uma subida daquelas que moem, assim como muita areia. Mas quando utilizo a palavra “fulminante” é apenas porque o local se encontrava “infestado” com caçadores, eh, eh, eh! Era ver o pessoal a pedalar como se não houvesse amanhã, eh, eh, eh! Quando descemos a mesma encosta, deparámo-nos com uma descida perigosíssima cheia de areia e cascalho, daquelas que depois de iniciarmos não há volta a dar é sempre a abrir pois os travões de nada servem. Mais ou menos a meio dessa descida e após vislumbrar o Tiago a fazer um “slide” que quase o fez “tralhar”, acertei em cheio num pequeno tronco de um eucalipto que só não me partiu a mão porque lhe acertei com o extensor! Viram bem? Aqui ficava mal dizer que lhe tinha batido com os cornos, nome que vulgarmente se dá aos extensores, eh, eh, eh.
Após o Aqueduto surge de novo o fantasma dos furos. Desta vez foi o pneu traseiro do Sérgio que sofreu um furo de tal modo grave que nem a sua câmara-de-ar anti-furo lhe valeu.
“Let´s look at the trailler”, eh, eh, eh…….



video


Perdoem-me os mais perfeccionistas, pela má qualidade do filme que não permite a visualização dos enormes peixes ali existentes. Garanto que é digno de se ver.


Enquanto o pessoal se debatia com o problema do furo, o Vasco já fazia uma birra desgraçada, para ir para casa, pois tinha de chegar antes das 12H00. Como já não o podíamos ouvir e ele estava a incomodar os mecânicos de serviço, decidi ir com ele, sempre por alcatrão e a mais de 30 km/H!!!!!!! Na verdade eu também já estava a “queimar” o meu horário.
O restante grupo acabou por chegar a Samora cerca de 15 minutos mais tarde, numa volta com cerca de 60 KM.


Por hoje é tudo e até breve!



Charbel

Volta de Coruche

Caros companheiros bttistas,

neste fds alargado apenas rolei no sábado à tarde. Fui com o Marçal até perto de Coruche. Fomos no alcatrão até aos Foros de Salvaterra para podermos chegar de dia a casa (estava com medo que a bike do Marçal se transformasse nuam abóbora e a minha numa vassoura) e depois fomos pelo canal mas não até ao fim. Inventámos e voltámos num dos acessos à esquerda e fizémos uma subida porreira, longa e com muita pedra... pior foi a seguir com a quantidade de areia que apanhámos nesso bocado! Depois apanhámos a estrada de terra batida pelo meio das arvores que vai até perto da fajarda. Foi fixe! Sempre a bom ritmo. No final desssa estrada o Marçal veio pelo Biscainho e eu fui até Coruche pois jantava lá. Juntar o util ao agradável...ehehe

Eu fiz cerca de 40kms e o Marçal deve ter feito uns 60kms.

E vocemessês? ouvi dizer que eram bastantes... Houve furos pá malta rir?

Abrç

DCB