terça-feira, 31 de agosto de 2010

Última volta de Agosto! - 29/08/2010

By Charbel

Olá a todos,

Hoje efectuámos uma volta "amena" por terras de Belmonte, exactamente como estava prometido. O local da concentração foi junto à Ribapedal, tendo comparecido para este evento 14 Bttistas, nada mau!
O pelotão era formado por mim, pelo Pedro Romão e um seu amigo dos Foros-de Salvaterra, pelo Orlando, Zé Latas, Paulo Vasconcelos, Emanuel Barbosa, Fernando Costa, João costa, Vasco Pereira, Marco, Luís Mendes, Paulo (mecânico da Ribapedal) e por último o pai do Nuno Vicente que se juntou a nós mais tarde.

O nosso amigo "Fenómeno" (Nuno Vicente), ainda teve tempo de nos cumprimentar, visto que se dirigia para Salvaterra a rolar, afim de juntar aos companheiros da sua nova equipa, treinados pelo consagrado Vítor Gamito.

Efectuámos a chegada a Belmonte muito calmamente, até porque tínhamos três juniores connosco, o Emanuel Barbosa (meu sobrinho), o João Costa (filhote do Fernando Costa) e o Vasco Pereira (seu sobrinho).
Foi muito bom assistir ao regresso do Paulo Vasconcelos após longa ausência. Acontece que ao saber da presença de bttistas juniores, aproveitou a ocasião para se juntar a nós, para andar "devagarinho", o que ele não sabia é que alguns desses juniores andam tanto ou mais do que alguns dos séniores, eh, eh, eh! Pelo menos o Vasconcelos teve coragem, ao invés do nosso ilustre presidente que devido ao receio de ficar "mal visto" junto da "pequenada" nem sequer se dignou a vir cumprimentar-nos, preferindo ir andar mais tarde na companhia de outros bttistas talvez ainda mais "fraquinhos"!
Estou a brincar claro, o que se passou foi que ele simplesmente sofre de um problema muito antigo, não consegue acordar cedinho para andar, eh, eh, eh!
Apesar de muitos bttistas se encontrarem em "começo" de época e por isso menos preparados, lá fomos ultrapassando todos os obstáculos, com maior ou menor dificuldade. Mas, como em todas as actividades há sempre alguém a reclamar! Foi o caso do Orlando que adora a areia e não parava de pedir mais e mais areia! Numa próxima ocasião iremos organizar um treino na praia só para ele.

Como volta que se preze tem de ter pelo menos um furo, o filhote do Fernando Costa fez as honras da casa. Esta paragem para reparação do furo arrefeceu alguns bttistas excepto o Zé Latas que continuou a subir e a descer o que lhe aparecia pela frente. O homem faz lembrar o nosso amigo "cassetes", pois não param nunca, parece que têm "bichos carpinteiros"!
Devido a esta paragem efectuármos a rampa mais curta de cascalho a frio e logo se verificaram os primeiros "estragos" no pelotão, excepto para alguns batoteiros (que não irei identificar) que decidiram atalhar caminho pelo Singletreck paralelo a essa rampa!
Depois do esforço, veio o abastecimento sólido.

Let´s look at the trailler....
video
Já recompostos, continuámos no sobe e desce com inúmeros tralhos pelo meio, alguns dos quais bastante aparatosos mas aparentemente sem consequências. A dada altura o grupo separou-se para não castigar muito os mais novos que regressaram pelo arrozal. O Emanuel como tem mais resistência continuou connosco. Houve ainda uma outra paragem em consequência da corrente partida na bike do pai do Nuno Vicente e ainda uma outra junto à quinta, onde simpaticamente a senhora acedeu em ligar a água permitindo assim encher os bidons.

Agora meus amigos, pááááraaaa tuuuuudoooo!

Recordam-se da crónica do "Chupa-cabras"? Acham que nos livrávamos da "besta maldita" assim tão facilmente? Nada de mais errado! Ora reparem só no horripilante "ornamento" que se encontrava mesmo por cima da torneira da água!
É verdade, contra todas as expectativas, ali estava diante dos nossos olhos, mais uma vítima do Chupa-cabras, eh, eh, eh! O pior de tudo foi assistir a esta cena inocente, onde os pobres incautos alegremente abasteciam os seus bidons, alheios ao perigo que espreitava nas entranhas da floresta, eh, eh, eh...
Sinistro não? Não há coincidências meus amigos!

Após este abastecimento líquido, prosseguimos pelos arrozais, onde a velocidade foi aumentando à medida que nos aproximávamos da cidade. Acabámos por fazer cerca de 30 Km de grande qualidade!

Por hoje é tudo, grande abraço!



Charbel

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Nuno Vicente - Transferência para o CCS

Ainda com o mercado de transferências aberto, informo os membros do CBTT TL e seus seguidores que o Nuno Vicente passou a ser atleta/ciclista do Clube Ciclismo de Salvaterra de Magos desde este mês de Agosto. O Nuno aposta tudo na competição e foi-lhe feita uma proposta bastante aliciante para um patamar mais competitivo onde o CCS conta com outras condições e com vários nomes sonantes da modalidade (p.ex José Silva e o treinador Vitor Gamito).
Resta-nos agradecer ao Nuno por, tão bem, ter representado o CBTT Trilhos da Lezíria e desejar-lhe a melhor das sortes e muitos triunfos.

Abraço,

CBTT TL

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

O Chupa-cabras!

By Charbel


Aqui vai uma "frase feita", mas enfim, serve na perfeição: "Tenham medo, tenham muito medooooo.....!"

Meus amigos, ontem à noite, ou seja, no Domingo dia 22/08 pelas 20H30 teve início mais um treino nocturno. Sim, é verdade o nosso grandioso clube nunca dorme nem encerra para férias, eh, eh, eh! Participaram três morcegos. Ups... quero dizer, três bttistas, eu, o Emanuel e o Fernando Ferreira. A nossa "aventura" começa como habitualmente nos arrozais infestados com perigosas melgas venenosas, típicas do Ribatejo, mas que facilmente ludibriamos recorrendo à nossa velocidade "de ponta", eh, eh, eh! Nestas coisas o essencial mesmo, é fechar a boca.
Chegados à ponte pedonal de Benavente, verificamos que a mesma se encontra interditada, apresentando danos visíveis na sua estrutura, pelo que tivemos que circular entre os rails de segurança para peões na estrada nacional. Seguimos até aos Foros-de-Salvaterra e efectuámos um abastecimento líquido numa tasca. Nesta actividade é deveras importante mantermos os níveis de hidratação e foi por isso que o homem inventou a "mine", eh, eh, eh...
E agora perguntam vocês: - Então e não levam bidons e camelbags com água? - e eu respondo: - Sim, levamos, mas não é a mesma coisa, eh, eh, eh! - A partir daquele momento começámos a rolar até entrarmos de novo na total escuridão da floresta. O ambiente era assustador, mas como eu percebo muito de psicologia, decidi exorcizar todos os fantasmas que pairavam nas mentes dos meus companheiros e num acto de libertação incrível de adrenalina, em pleno túnel (por debaixo da auto-estrada) emiti um estrondoso rugido que os deixou sem "gota-de-sangue", eh, eh, eh... O grito que emiti juntamente com o eco do túnel foi muito violento e não sei até se não terá provocado a libertação de fluídos aos meus companheiros que meia hora depois já começavam a dar mostras de terem recuperado do choque, eh, eh, eh! Mas também acho que o facto de eu ir todo o caminho a explicar-lhes que por ali existiam provas evidentes da presença do mítico e voraz monstro das trevas....o Chupa-cabras, poderá ter contribuído para os tornar mais susceptíveis! Ah, pois é, e não julguem que se tratam de histórias inventadas por mim, pois o "espectáculo" que se seguiu, meus amigos, foi o culminar de uma noite de terror. Ali mesmo frente aos nossos olhos junto à entrada da Herdade-dos-coelhos, na escuridão da noite assistimos a este "cenário dantesco". Eram três vítimas do Chupa-cabras a jazer no chão.


Agora tudo era claro, não restavam dúvidas sobre a existência do Chupa-cabras, mas uma coisa continuava a perturbar a minha mente. Se se tratava do Chupa-cabras, porque motivo a besta gostava de chupar vacas? Hummm, intrigante, não?


Mas faltava ainda a prova final, sim era necessário tirar uma foto daquele monstro chupador e num golpe de sorte.....zás, tirei-lhe uma foto!

Ah? E que tal? Horrível não é?
Ah! Esperem, não era esta a foto! Este é o Fernando o Chupador de "mines".

Mas que lamentável lapso da minha parte. Desculpa Fernando, até ver só te vi a chupar "mines". Cabras, vacas e outra bicharada nunca vi, eh, eh, eh....

Agora sim, vamos ver a "besta maldita"...
Aos mais incautos, alerto para o facto do bicho ter desaparecido por entre a bruma da floresta para não mais ser visto! Mas de uma coisa podem ter a certeza ele voltará, ah, ah, ah, ah...

Ultrapassado este pesadelo, prosseguimos aterrorizados, entrando no canal junto à Herdade dos coelhos. Eu entretanto perdi a luz principal, pelo que o andamento teve de ser reduzido e o Fernando fura em pleno canal. Como o local não era o mais indicado para reparar o furo, o Fernando foi enchendo o pneu até à Aldeia-do-peixe. A foto anterior regista esse momento. Depois foi rolar até ao abastecimento líquido seguinte, situado no Solar em Benavente e depois de recompostos seguimos para Samora a alta velocidade onde chegámos com um total de 62Km.

Espero que tenham gostado de mais uma aventura do Clube de Btt Trilhos da Lezíria!


Por hoje é tudo, obrigado e bom dia!


Charbel

domingo, 22 de agosto de 2010

Sardinhas e couratos...

By Charbel

Olá a todos,

A esta hora alguns de vós deverão estar a pensar: - Humm, o Charbel enganou-se no Blogue a julgar pelo título - mas nada de mais errado meus amigos! Sim, é verdade, ontem à noite eu, o Fernando Ferreira e o Emanuel Barbosa, tivemos o privilégio de participar numa das voltas (surpresa) mais interessantes do ano, eh, eh, eh...
Para lançar ainda mais a confusão, apenas quero acrescentar mais uma coisinha a este título tão sugestivo...Matrix..."Matrix Reloaded with Superbock", eh, eh, eh...

Não, não me encontro a sofrer as consequências da ingestão de tão preciosa poção, não senhor, eh, eh, eh!
Eu passo a explicar! Ontem pelas 20H30 iniciámos uma volta nocturna, indo pelos arrozais das Silveiras, seguindo pelo canal até Benavente. Continuámos em direcção à IDAL e entrámos de novo no singletreck
do canal, de onde saímos junto ao aqueduto para subirmos então a rampa do cascalho que dá acesso à estrada de alcatrão. Como o nosso amigo Fernando conhece a região como ninguém, sugeriu que fossemos até aos Foros-da-charneca, e porquê? Porque havia lá a festa da Sardinha assada!

Alguns perguntarão: - E onde fica os Foros-da-charneca? - e eu respondo: - vão ao Google pesquisar, eh, eh, eh! -.
Só vos posso adiantar uma coisa pela certa, as sardinhas desta festa foram as melhores que comi desde há alguns anos e não pensem que não percebo nada acerca destes bichos, pelo contrário, sou um verdadeiro "expert" na matéria! Pois é, ao chegarmos à festa, claro que toda a gente ficou a olhar para nós como habitualmente nestas voltas nocturnas, ou seja, somos olhados como se fossemos extra-terrestres com luzinhas na cabeça e tal. Passado esse choque inicial, do tipo "encontros imediatos de terceiro grau", fomos "aceites" pelos autóctones e no momento seguinte lá estava eu na fila para as mines, eh, eh, eh...
É claro que o Emanuel só consumiu sumo de ananás, pois a sua idade ainda não permite o consumo de bebidas isotónicas, eh, eh, eh...
Nisto, já o Emanuel pedira ao comandante da GNR (por acaso era o comandante David de Samora), para tomar conta das nossa bikes, que se encontravam devidamente estacionadas debaixo de um Chaparro. Daí a estarmos a assar sardinhas e imagine-se, belos couratos, foi um ápice, eh, eh, eh!
Não sei se pelo ambiente ou se pelo facto de serem 23H45, o que é certo é que tudo nos soube mesmo, mesmo, mesmo muito bem, pena é que o tipo do tractor que tinha o abastecimento sólido tivesse "fugido" do recinto pouco depois da nossa chegada, coincidência ou não, eh, eh, eh...
Entre a degustação deste maravilhoso repasto, dá-se outro momento alto da noite! Uma bela cançonetista, que se encontrava em palco, apresenta um espectáculo dentro do espectáculo e eis que entra em cena um grupo de extraordinários bailarinos ao som de um tema do filme Matrix, com fatiotas e coreografia de alto nível! Foi mesmo algo muito estranho, assistir a tão requintado espetáculo a comer sardinhas e couratos, eh, eh, eh.
De regresso ainda tivemos a sorte de apanhar mais uma tasca aberta, pelo que não será difícil de imaginar o que lá fomos fazer, eh, eh, eh...
A partir daí, já tarde e a más horas fomos sempre a "abrir" a 30/35 Km/hora até Samora, onde chegámos por volta da 01H00. Pois é, o Astérix usava a poção mágica, nós usamos a bela mine!

Foi uma volta cinco estrelas, pelo que o Fernando já se encontra a elaborar o "roteiro da sardinha assada no Ribatejo", para eventos futuros, eh, eh, eh, eh...


Por hoje é tudo, grande abraço!


Charbel

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

O meu primeiro furo!

By Luís Mendes


Olá,

Após o regresso de ferias e aproveitando mais um Domingo para dar um passeio, lá fui eu ao local de encontro na Ribapedal.
Entretanto chegaram o Emanuel e o Charbel e lá nos dirigimos para Belmonte.

O percurso de subidas e descidas faz-se bem com excepção das famosas subidas de cascalho solto, que também não consegui fazer. Quando chegava a meio das subidas a bicicleta parava ali mesmo e já não conseguia subir mais! O Charbel diz que é uma questão de técnica, mas como comecei há pouco tempo espero adquirir a experiência e técnica necessárias para as fazer sem dificuldades.

Quando já regressávamos, senti que se passava alguma coisa na frente da bicicleta, olhei para a roda da frente e estava em baixo. Ora cá estava ele, o meu primeiro furo!
 
 
Nem nos meus tempos de criança me lembro de alguma vez ter um furo na bicicleta e como sou “novato” nestas coisas de Btt desconhecia por completo a existência de câmaras de ar com gel, ou outras soluções para evitar os furos! Com a ajuda do Charbel e do Emanuel substituí se a câmara-de-ar e retomámos o caminho até Samora sem mais incidentes.
 
 
Grande abraço!
 
 
Luís Mendes

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

UM PROBLEMA "PSICOLÓGICO"

By Charbel

Olá a todos,


Tenho estado à espera de notícias fresquinhas dos nossos ilustres membros, mas ao que parece estão todos de férias!!!!???

Hummm, muito estranho! Bem, seja como for, na falta de algo verdadeiramente emocionante e espectacular, decidi elaborar a crónica do passado Domingo. Eu, o Emanuel, o Galamba e o João Aires, saímos da cidade em direcção ao campo, mais exactamente em direcção a Belmonte. Estava um dia particularmente agradável, pelo que nos divertimos por terras de Belmonte, no habitual sobe e desce.

Quer dizer divertimo-nos não, pois alguns de nós “apanharam” uma valente camada de nervos, eh, eh, eh! Sim é verdade, que o diga o grande João Aires, eh, eh, eh…

É que o homem neste dia apresentou um défice de técnica e não havia meio de conseguir subir uma das “rampas” de Belmonte. Por momentos ainda pensei que esta incapacidade se devesse a álcool em excesso ingerido na véspera ou a uma noite mal “dormida” pois numa das suas 450 tentativas, o homem mandou um tralho de nota artística de 8.5, eh, eh, eh…

Mas não, afinal tratava-se apenas de um problema psicológico. Ele podia lá estar até hoje a tentar fazer a subida que não iria conseguir, não senhor. Para me manter acordado no meio de tantas tentativas, até tive tempo para registar o momento em vídeo para mais tarde recordar, eh, eh, eh!

Let´s look at the trailler…
video


Como nada mais aconteceu digno de registo e não os quero maçar mais, resta-me despedir-me!

Obrigado e bom dia.


Charbel

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

GEO-RIDE - Serra da Estrela (Julho 10)

by Sérgio Silva

Geo Raid – Serra da Estrela

No fim de semana de 10 e 11 de Julho eu, o Zé Carlos, Hugo Cordeiro, Tiago Gomes e o pessoal do BTZ João Canas e João Almeida participamos na segunda prova do Geo Raid, desta vez na Serra da Estrela, tinhamos pela frente um enorme desafio, em que iriamos percorrer quase 200 km e mais de 6.000 m de desnível acumulado ao longo dos dois dias de prova. num fantástico cenário natural da Serra da Estrela, que marcava esta prova e onde a bicicleta de montanha ganha realmente outra dimensão. Mas já lá vamos, o pessoal de Samora combinou partir de viagem para a Serrada Estrela às 18 horas, e assim foi de malas e bagagens feitas partimos na já famosa Ramona para a dita Serra, mas subitamente perto da estação de serviços de Aveiras a Ramona começou a lagar imenso fumo desligando-se o motor não voltando a trabalhar, entretanto passa uma ambulância dos bombeiros voluntários do Entroncamento que de imediato parou em plena auto-estrada em que o respectivo bombeiro veio a correr de imediato com um extintor em punho pronto a apagar o suposto incêndio na Ramona, felizmente não foi necessário. Como a área de serviço de Aveiras estava perto eu o Tiago e o Hugo começamos de imediato o aquecimento para o Geo Raid empurrando a Ramona em plena auto-estrada.

Grande aventura mas chegámos ao destino e participámos na dita prova. E este é o rescaldo da prova em si.

Rescaldo:

Depois da primeira prova efectuada em S. Pedro do Sul, o GEO-RAID ® series 2010 rumou nos passados dias 10 e 11 de Julho até à Serra da Estrela, para a segunda prova deste troféu.As equipas, tinham pela frente um enorme desafio, em que iriam percorrer quase 200 km e mais de 6.000 m de desnível acumulado ao longo dos dois dias de prova. O fantástico cenário natural da Serra da Estrela marcava esta prova, onde a bicicleta de montanha ganha realmente outra dimensão.


Etapa 1 - Sábado - 114 km, 3.923 m de desnível acumulado

Consoante os seus handicaps as 132 equipas foram partindo, com os primeiros atletas a saírem às 7:21 h,. Uma longa descida em “balcão” sobre um Vale Glaciar do Zêzere iluminado pelos primeiros raios de sol, esperava as equipas logo no início desta 1ª etapa, proporcionando imagens espectaculares. Manteigas, Vale do Mondego e Linhares eram alguns dos pontos de passagem nesta primeira etapa. O regresso fazia-se pela mítica Santinha, Penhas Douradas e Manteigas, antes da subida pelo Vale Glaciar até às Penhas da Saúde, fazendo desta etapa uma das mais ambiciosas travessias feitas em competição na Serra da EstrelaApós esta 1º etapa, a equipa Gold Nutrition liderava a prova, seguida pela equipa da GNP Carboom e da equipa da X-Perfomance, fechando os lugares do pódio. No quarto lugar ficou a surpreendente equipa Force 01, com os atletas Fernando Borlido e Rui Anjos a demonstrarem uma espectacular subida de rendimento, face à sua prestação na primeira prova do troféu. A equipa da Rocky Mountain, com João Marinho e José Silva foi afastada da luta pelos primeiros lugares nesta etapa, devido a uma distracção que lhes custou um engano no percurso e cerca de 15 min de atraso. Ao longo da tarde, iam chegando à meta todos as equipas, com marcas evidentes da dureza desta etapa. Contudo a satisfação de entrar na meta e ter vencido este primeiro desafio era a melhor das recompensas no final do dia. Ao longo da estrada, na dura subida final, podiam-se observar as equipas a serpentear serra acima, proporcionando muitas delas imagens incríveis de companheirismo e espírito de equipa, com vários atletas empurrando e ajudando os companheiros em dificuldade, num retrato do verdadeiro espírito desta competição. Ao longo de todo o dia a organização fez um esforço redobrado em termos de acompanhamento da prova, procurando garantir a segurança de todos os atletas. Após a chegada à Meta e entrega do GPS para verificação do percurso efectuado, era tempo de atacar o já famoso lanche de recuperação fornecido pela organização e recorrer aos serviços dos massagistas. A prioridade era RECUPERAR. No dia seguinte havia mais… 81 km.


Etapa 2 - Domingo - 81 km, 2.825 m de desnível acumulado
Algumas equipas não alinharam à partida ou desistiram nos primeiros quilómetros, não tendo recuperado do dia anterior. O percurso desta 2ª etapa rumava em direcção à Vila do Carvalho, Verdelhos e Vale da Amoreira para depois enfrentar a longa subida que levava as equipas aos pontos míticos da Estrela, como a Quinta do Fragusto, Gorgulhão e Corredor de Mouros. A compensação vinha de seguida na espectacular descida de S. Lourenço para S. Gabriel em Manteigas, para logo atacar a mais dura subida do dia. Uma ascensão de 900 m em 20 km, de S. Gabriel até às Penhas da Saúde, num troço de constante desafio, com uma passagem pelo Poço do Inferno.Apesar do enorme desgaste do dia anterior, a equipa Gold Nutrition com Vítor Gamito e José Silva, venceu novamente a etapa, seguida desta vez dos atletas João Marinho e José Silva do Team Rocky Montain, que apesar de terem furado, asseguraram o 2º lugar na etapa. Em terceiro lugar, após uma etapa marcada por três furos, ficaram os atletas da GNP Carboom, Marco Almeida e Hugo Ferro, que demonstram mais uma vez toda a sua bravura e disputaram este lugar quase ao sprint com Fernando Borlido e Rui Anjos, do Team Force 01, que mostraram assim que a boa classificação do dia anterior não tinha surgido por acaso.




Na chegada à meta, os rostos dos atletas transmitiam o misto de cansaço e de satisfação característico de quem venceu, não os adversários, mas os seus próprios limites, superando dificuldades e desfrutando com o seu esforço, da grandeza destes cenários naturais. Os que por algum motivo não conseguiram os seus objectivos, prometiam a desforra, fazendo planos para regressar com mais força na próxima oportunidade.No classificação final a equipa da Gold Nutrition (Vítor Gamito e José Silva) arrecadou o primeiro lugar, seguida da equipa da GNP Carboom (Marco Ameida e Hugo Ferro), tendo a equipa da X Perfomance (Luís Leão Pinto e Joaquim Bica) conseguido segurar o terceiro lugar, graças a um impressionante espírito de equipa. Os links para as fotos desta prova e a classificação actualizada no troféu já se encontram disponíveis no site oficial (ultimas notícias) em http://www.geo-raid.com


Classificações do pessoal de Samora/Porto Alto/Santarém

50 - BTZ Mação/Bikezone Santarém - João Almeida /João Canas 16:35:42
51 - BTT STOCK DE USADOS - Hugo Cordeiro /Tiago Gomes POR 16:41:39
64 - CDC Faiões/BTT Trilhos das Lezíria - José Silva / Sérgio Silva POR 18:16:04 198

Foi uma grande participação e uma grande aventura.

Abraço a todos

Sérgio




segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Maratona Vale do Vouga

by Sergio Silva





Viva pessoal no passado dia 4 de Julho de 2010 eu o Hugo Cordeiro, Zé Carlos e o Nuno Vicente participamos nesta maratona.

Na minha opinião foi uma excelente maratona em quase todos os aspectos, tais como a organização, percurso, marcações, paisagem, simpatia de todo o pessoal e principalmente dos populares que assistiam à prova pois estas pessoas auxiliaram muitos participantes com água e alguns à mangueirada iam regando e por conseguinte refrescando os muitos participantes que passaram mal com o calor.

Quanto à prova em si foi uma maratona dura com longas subidas algumas com 17% de inclinação e respectivas descidas, ou seja uma maratona dura por si só, em que teve ainda uma agravante, o calor que neste dia rondou os 40 graus, tornando a prova ainda mais dura o que levou muita gente a desistir pois dos mil e poucos participantes entre federados e não federados desistiram mais de 400 atletas.

Em relação à maratona tenho apenas um reparo a fazer à organização, pois nos regulamentos da prova é mencionado que os atletas da promoção partiam com 10 minutos de atraso em relação aos atletas federados, o que não se verificou, e que mais tarde deu origem a engarrafamentos nos primeiros trilhos, prejudicando os atletas da promoção que saíram na cauda do plutão.

Quanto a prestações, posso dizer que esta maratona não era para meninos !! ainda assim foi muito positiva pois chegamos todos ao fim, tenho ainda a salientar a magnifica prestação do Nuno Vicente que foi 3º classificado com 3H29M51S na classe promoção. Em relação aos restantes eu fiz 17º lugar em 5H08M5S o Hugo Cordeiro fez 60 lugar em 6H38M44S e por fim o Zé Carlos fez a distância em 6H38M44S de salientar que o Zé é o único elemento federado e correu pelo Faiões.

Sérgio